Velozes e Furiosos 5 - Operação Rio (Fast Five)


Resenha: A série de Velozes e Furiosos é sem dúvidas uma das melhores já criadas, prova disso é que em abril foi lançado o 5º filme da franquia e até hoje já arrecadou US$ 604.378.388. A cada novo filme, novas aventuras, diversas cenas de ação e principalmente de muita velocidade, pelo menos era isso que deveria acontecer.
Em Velozes e Furiosos 5: Operação Rio, como o nome já sugere, a história se passa no Rio de Janeiro. Novamente temos Dominic Toretto (Vin Diesel) que esta preso e que com a ajuda de sua irmã Mia Toretto (Jordana Brewster) e do namorado de Mia, Brian O’Conner (Paul Walker), consegue fugir da custódia dos policiais. Os três então vão parar no Rio de Janeiro, onde reencontram com Vince (Matt Schulze), que da ao trio, a missão de roubar três carros, porém isso dá errado e para ajudar, eles são acusados de matar agentes federais.
Os carros interessava ao empresário corrupto Hernan Reyes (Joaquim de Almeida), e o trio descobre o motivo desse interesse. Decidem ainda que irão roubar 100 milhões de dólares do empresário, com isso contará com a ajuda de outros companheiros. Cada um do grupo formado por Dom e cia terá uma missão, porém o agente Lucas Hobbs (Dwayne Johnson) não deixará que essa missão ocorra normalmente, fazendo de tudo para pegar o grupo de fugitivos da polícia.
Todos sabem que a imagem que os estrangeiros têm de nosso país não é uma das melhores, e não será com esse filme que eles mudaram de ideia, pelo contrário, mas não podemos criticar, pois sabemos que o Brasil é comandado por pessoas corruptos e pelo tráfico. O diretor Justin Lin até tenta usar das belezas que encontramos no Rio de Janeiro, mas acaba dando um tiro na culatra, principalmente usando um deserto em pleno Rio de Janeiro.
Como já é usado constantemente em filmes do gênero, a ação as vezes chega a ser exagerada, no entanto é preciso para aumentar a adrenalina que encontramos em diversas cenas ao longo do filme. Deixamos de ter muitos rachas, como já era constantemente usado, para ter mais ação e fuga. Os planos para que o roubo dê certo é o que mais está retratado, e o trabalho que todo o grupo tem para isso é muito interessante. Porém, nada supera três cenas: o momento em que o grupo rouba quatro carros da polícia; a briga de Dom e Lucas; o momento em que roubam o cofre onde está os 100 milhões de dólares.
Todos sabem que a presença de Vin Diesel e Paul Walker é extremamente necessária para que o filme se sobressaia dos demais. Diesel sabe fazer o papel do cara durão porém simpático, e ainda as cenas de ação não poderiam ser melhor se fosse por ele. O ator Dwayne Johnson também está bem apesar de sua personagem não ter tamanha importância na sequência do filme. A cena em que os dois lutam pode parecer simples, no entanto é bem interessante. Há ainda as lindas mulheres, característica marcante da franquia, como Gal Gardot e Jordana Brewster, porém poderiam aproveitar que estavam no Brasil e acrescentar mulheres que representassem a beleza brasileira.
Quando pensamos que não há nada que poderia ser surpreendente, temos as cenas finais. Como disse, o roubo do cofre é seguido por diversas incríveis e de muita ação e velocidade, mas antes um acontecimento que pelo menos para mim, foi inesperado. Já a trilha, como já era de se esperar, tem muito hip hop e canções nacionais, inclusive com a canção Desabafo, composta por Ivan Lins e interpretada por Marcelo D2, o que é uma boa para assim mostrar aos gringos o que a população daqui ouve.
Não dá para criticar o filme pelas cenas que irão aumentar a má visão que os gringos têm de nosso país. Nós sabemos melhor que ninguém que o Rio de Janeiro tem sim suas belezas, porém continuará tendo coisas ruins. Colocar um deserto em nossas terras foi ridículo, mas o uso de duas horas de muita ação, fuga, velocidade, tiros e brigas, faz de Velozes e Furiosos 5 uma grande obra cinematográfica, que para todos os fãs desse estilo, sem dúvidas agradará, até porque é uma mistura de tudo aquilo que de melhor tem.

Deixe um comentário