Maníaco da Cruz

Nome: D.F (Iniciais divulgadas)
Apelido: Maníaco da Cruz
Data de Nascimento: 1992/1993
Data de Morte: -
Primeira Vítima: Catalino Cardena, 33, pedreiro morto em julho de 2008.
Número de Vítimas: pelo menos 3 pessoas
Pena: -
Bio: Aparência grotesca. Gótico. Em seu perfil no Orkut, fotos em cemitérios e em rituais satânicos. São as poucas informações conhecidas sobre o Maníaco da Cruz, que em 2008, com apenas 16 anos, participou de três assassinatos em Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul.
Preso em outubro daquele ano, o Maníaco da Cruz cometeu seu primeiro crime em 24 de julho de 2008. A vítima foi o pedreiro Catalino Cardena, de 33 anos, encontrado morto em um terreno baldio. Morto com facadas no coração e enforcado com um saco de lixo. Em seu peito, as letras INRI (Jesus Nazareno, Rei dos Judeus) foram escritas à faca.
Um mês mais tarde, o corpo de Letícia Neves de Oliveira, 22 anos, foi encontrado sem vida no cemitério São Cristóvão. Nua sob um túmulo, as pernas da vítima estavam fechadas e os braços abertos, formando uma cruz. Inteligente, o assassino sabia que na antiguidade as pessoas crucificadas eram mortas asfixiadas, e por isso, ele esganou Letícia.
Naquele mesmo dia, um show da dupla Maria Cecília & Rodolfo acontecia na cidade, e apesar do medo da população – do assassino agir novamente no dia 24 – algumas pessoas arriscaram e foram ao show. Uma delas, após o show, foi abordada por um estranho homem, que a levou até um local onde fez diversas perguntas. Identificada como Carla, a jovem tinha tudo para ser mais uma vítima, mas após as perguntas, o assassino constatou que ela não fazia parte do perfil da vítima e disse: “Você é realmente ingênua. Saí para matar uma vadia e encontrei você. Você está livre”.
A última vítima foi Gleice Kelly, uma garota de 13 anos, encontrada morta em uma construção no dia 07 de outubro. No local, cruzes e um bilhete com letras espalhadas foram encontradas. Várias palavras foram formadas, entre elas INFERNO. Mas como nenhum crime é perfeito...
...o Maníaco da Cruz cometeria um erro que seria fundamental para a solução do caso: um recado no perfil do Orkut de sua última vítima. O perfil que enviou um recado (Mortos não recebem screeps seus doentes) passou a ser investigado pela polícia, que encontrou fotos de um jovem em um cemitério e praticando rituais satânicos. Comunidades do perfil também chamaram a atenção, mas foi com a quebra do sigilo telefônico da última vítima, que a polícia chegou ao jovem, que mesmo após a morte de Gleice, continuava ligando ao seu celular.
Ele foi preso em 09 de outubro e em seu quarto, foi encontrado um canivete sujo de sangue, a blusa e o celular de Gleice, pulseiras de Letícia, pôster do Maníaco do Parque, revistas pornográficas, entre outras coisas.
Lamentavelmente, o Maníaco da Cruz pode ser libertado, pois já cumpriu os três anos da medida socioeducativa. Especialistas dizem que ele possui as características de um psicopata – ou seja, não sente culpa ou remorso – e por isso pode ser transferido para uma unidade psiquiátrica. Vale lembrar que a psicopatia só pode ser diagnosticada em pessoas acima dos 18 anos.

Fonte: RobsonSlip