O Exótico Hotel Marigold (The Best Exotic Marigold Hotel)

Resenha: A simpatia de idosos em um filme simples, de humor leve e feito especialmente para a família. Baseado no livro These Foolish Things, de Deborah Moggach, o filme O Exótico Hotel Marigold usa de seu grande elenco para cativar o espectador com uma história rica em sentimentos e mensagens a ser usadas por todos.
O Exótico Hotel Marigold inicia em uma breve apresentação – e já engraçada - de sete idosos com histórias distintas e que por algum motivo buscam uma nova aventura em suas vidas e viajam para a Índia. A viúva Evelyn Greenslade (Judi Dench), cansada de uma vida pacata, decide fazer sua primeira viagem sem a família e conta suas aventuras em um blog. A situação financeira do único casal da trama, Douglas (Bill Nighy) e Jean (Penelope Wilton), não é das melhores, porém se encontram com Evelyn durante a viagem e passam por situações inusitadas. Muriel (Maggie Smith) é uma ex-governanta que tem problemas de saúde e precisa sair da Inglaterra para ser submetida a uma cirurgia. Madge (Celia Imrie) e Norman (Ronald Pickup) são solteirões que estão em busca do grande amor. Por fim, Graham (Tom Wilkinson) é um jurista recém-aposentado que volta ao passado para acertar contas com o seu coração.
Todos esses personagens se conhecem ainda no início da viagem para a Índia e já enfrentam os primeiros problemas. Chegando ao Hotel Marigold, administrado pelo sonhador Sonny (Dev Patel), os problemas aumentam e eles se deparam com um local totalmente diferente do que o prometido na propaganda. O luxo não existe, porém a viagem será bem aproveitada, já que estão em um país de cultura riquíssima e qualquer experiência pode ser inesquecível.
O grande problema em O Exótico Hotel Marigold é que a quantidade de personagens impede que todos ganhem o merecido destaque.  Contando com um elenco de primeira, é triste ver que certos personagens e o talento de seus respectivos atores não são tão bem explorados. A maioria das histórias é simples, ainda que um aprofundamento caísse muito bem.
Dentre tantas histórias, a melhor, mais engraçada e também mais triste, é a de Graham. Aparentemente Graham deveria ser um personagem secundário, apesar de fazer parte do grupo de idosos. Mas, ao contrário do que o filme todo demonstra, sua história trás a tona a verdadeira personalidade de um homem importante e que não desistiu de se revelar, mesmo depois de anos.
Com um elenco repleto de atores e atrizes premiados, o grande destaque é Dev Patel, apesar do mais jovem em cena, é também um talentoso ator que interpreta um jovem sonhador e que não se intimida com as dificuldades encontradas; e Maggie Smith, que dá vida a uma senhora de personalidade contestável e com falas pouco bondosas, porém na verdade tem um coração admirável e percebemos isso na segunda metade do filme.
Assim como a história da maioria das personagens, outros pontos deixam a desejar, como a própria trilha sonora. Com isso, O Exótico Hotel Marigold se torna um filme engraçado e um ótimo passatempo, porém sem uma grande produção, o que é uma pena se tratando da grandiosidade dos nomes por trás do filme inglês.
Não deixando a cultura e a sociedade indiana de lado, O Exótico Hotel Marigold mostra como as pessoas mais velhas devem ser tratadas; que nunca é tarde para se aventurar pelo mundo e mesmo que seja nossa última atitude em vida, devemos ser nós mesmos; e assim como Sony, não devemos desistir dos nossos sonhos – sejam eles pessoais ou profissionais. Como diz o ditado indiano, "no final tudo termina bem".