Starters, Lissa Price, tradução de Ivan Panazzolo Júnior, 1ª edição, Ribeirão Preto-SP: Novo Conceito, 2012, 368 páginas.

Autora do conto Retrato de Uma Starter – Uma Descoberta (Resenha), Lissa Price vive no sul da Califórnia com seu marido e tem conquistado diversos fãs com o livro Starters, o primeiro de uma série que ainda terá o livro Enders com previsão de lançamento para 2013.
Assim como grande parte das distopias, Starters é narrado em primeira pessoa por Callie, uma jovem que perdeu os pais durante a Guerra dos Esporos, que matou todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Callie vive nas ruas com seu irmão mais novo, Tyler, que está doente, e o amigo Michael – narrador do conto citado anteriormente. Juntos, o trio enfrenta todas as dificuldades impostas quando se está sozinho no mundo.
Para Callie, a única chance de mudar a vida de sua “família” é aceitando trabalhar para a Prime Destinations, que sob a responsabilidade de um homem conhecido como Velho, contrata adolescentes para alugar seus corpos aos mais velhos, os Enders. Mas a intenção da Prime Destinations não é tão boa quanto aparenta e para sobreviver, Callie precisará enfrentar perigos que até então desconhecia, em um verdadeiro jogo de vida ou morte no corpo de outra pessoa.

“Ninguém nunca reclamava sobre ter um cérebro gordo. Ninguém acusava seu cérebro de ser alto ou baixo demais, largo ou estreito demais. Ou feio. Ou a coisa funcionava ou não funcionava. E o meu funcionava muito bem.” (pág. 53).

As grandes editoras têm apostado em distopias nos últimos meses e essa é uma aposta que tem dado certo. Isso porque, independente do rumo tomado pela história, a escrita e o mundo criado pelos autores estão conseguindo superar o de outros gêneros. É o caso de Starters, um livro com uma escrita viciante e que a quantidade de reviravoltas leva o leitor para dentro da história, literalmente.
Desde a primeira página, o leitor se vê interessado em descobrir a verdade sobre a Guerra dos Esporos e principalmente sobre a misteriosa figura do Velho. De início, ainda que viciante, a escrita possui um ritmo lento e sem que nossas perguntas sejam respondidas. Isso, porém, muda com o passar das páginas e não demora muito para que o ritmo acelere e aos poucos os mistérios sejam esclarecidos. O que, pensando sobre o assunto, pode não ter sido favorável a história, já que em certo momento precisávamos de mais e tudo passou muito rápido. Um exagero desnecessário.
Outro exagero foi na construção de um romance que não acrescentou nada para a história. A relação entre alguns personagens podem ser essenciais para o desenvolvimento de uma história, mas isso não significa que seja necessário um romance ou algo semelhante. Pior que isso, é insistir em um romance e deixar outro que faria todo sentido de lado. Isso é de longe a grande decepção em Starters, que tem ainda muitos outros pontos positivos em relação a história.
O principal e o último ponto que merece destaque é o final que superou todas as expectativas, já que quando esperamos que nada mais irá nos surpreender, Lissa Price consegue ir além. Até no último momento a autora continuou criando reviravoltas e expondo mistérios que prenderam a atenção do leitor, se unindo aos ótimos personagens e sequências de ação.
A capa, ainda que muito criticada, tem um desenho que faz todo o sentido, principalmente para quem leu o conto Retrato de Uma Starter. Ela ainda tem detalhes perceptíveis apenas ao toque e é espelhada, o que dá um charme a mais e mostra o carinho da editora Novo Conceito, que mais uma vez surpreendeu. Mas, o fato é que a capa será amada por alguns e odiada por grande parte dos leitores.
Com tudo o que encontramos, mesmo que existam diversas referências a outros sucessos das distopias – como a Jogos Vorazes, usado inclusive para a divulgação do livro -, Starters tem suas particularidades e deixa o enredo aberto para a continuação, que muito possivelmente irá responder a outras perguntas, assim como acontece na grande maioria das séries. Seja criticado por tantas referências, ou elogiado pela ótima estrutura de seu enredo, Starters é um livro que não pode ser deixado de lado. Uma leitura mais do que recomendável.

“Durante todo aquele tempo, pensei que eu fosse a fraude, a camponesa fingindo ser uma princesa. Mas, na verdade, quem estava disfarçado era o príncipe. Durante todo aquele tempo, havia um ogro disfarçado de príncipe” (pág. 353).