Foto/Fonte - Facebook (Foto mais curtida da história)/G1
Depois de uma campanha apertada desde o início, na última terça-feira (6) os americanos foram às urnas e o democrata Barack Obama derrotou o republicano Mitt Romney em uma das eleições mais disputadas dos Estados Unidos. Obama continua seu mandato, que iniciou em 2009, por mais quatro anos.
Diferente do que acontece no Brasil, por exemplo, a população americana não é obrigada a votar, tanto que o dia da eleição é como outro qualquer e a quantidade de votos obtidos nas urnas pode não eleger um presidente, ou seja, é uma eleição indireta. Isso aconteceu em 2000, quando o democrata Al Gore teve 48,38% dos votos, porém foi derrotado pelo republicano George W. Bush, que obteve na ocasião 47,87%.
Apesar da mídia se focar apenas nos candidatos republicanos e democratas, as eleições americanas também conta com outros candidatos que podem ou não aparecer nas cédulas de votação de todos os estados. Em 2012, Gary E. Johnson (Partido Libertário) e Jill Stein (Partido Verde) foram um dos outros seis candidatos que disputaram o cargo máximo dos Estados Unidos, porém juntos obtiveram apenas 1,29% dos votos.
No dia da eleição, Obama foi para Chicago, em Illinois, onde praticou seu passatempo favorito: jogar basquete. Mas ao contrário do que pode se imaginar, o presidente não teve uma terça-feira calma e continuou trabalhando durante grande parte do dia. Em seu escritório de campanha, Obama agradeceu os voluntários presentes e usou o telefone para agradecer a outros que também ajudaram em sua campanha eleitoral.
Ainda na terça-feira, enquanto os americanos iam às urnas, Obama aproveitou para parabenizar seu principal adversário: “Quero dizer ao governador Romney: parabéns pela campanha animada. Sei que os apoiadores dele estão tão engajados e tão entusiasmados e trabalhando tanto quanto os nossos hoje”.
Quando a apuração começou, os primeiros estados que tiveram suas urnas apuradas mostraram que seria uma eleição apertada e Mitt Romney chegou a estar na frente de seu adversário por algumas horas. A reeleição de Obama começou a ser confirmada apenas com sua vitória em estados como Ohio, Virgínia, Flórida e Illinois, que sozinhos lhe garantiram 80 votos do Colégio Eleitoral. Dessa forma, Barack Obama ultrapassou o número mínimo de votos, 270, e sua vitória estava garantida. No total, Obama obteve 332 votos, enquanto Romney ficou com 206.
Já no início da madrugada de quarta-feira (7), Romney reconheceu a derrota e disse ter ligado para Obama para cumprimentá-lo. O candidato republicano ainda disse que “os eleitores dele [Obama] e sua campanha também merecem felicitações. Eu desejo bem a todos eles, mas especialmente ao presidente, à primeira-dama e a suas filhas”. Obama, por sua vez, disse em seu discurso da vitória: “Acredito que podemos aproveitar este futuro juntos Porque não estamos tão divididos como nossos políticos sugerem. Nós não somos tão cínicos quanto os especialistas acreditam. Nós somos mais do que a soma de nossas ambições individuais, e continuamos mais do que um conjunto de estados vermelhos e estados azuis. Nós somos, e sempre vamos ser os Estados Unidos da América”.
Além de sua ajuda após a passagem do furacão Sandy no final de outubro (Imagem da Semana 96#), outro fator fundamental para a reeleição de Obama foi sua mulher, Michelle Obama. Apesar de não se envolver ativamente no mandato do marido, a primeira-dama é muito popular entre os americanos e sua principal preocupação é com as crianças e as mães de família, o que rendeu votos ao presidente reeleito, também apoiado por homossexuais e latinos.
Sobre a vitória, o presidente da Irlanda, Michael D. Higgins, comentou: “Obama, obrigado pela sua ajuda e esforços, a estreita relação entre Irlanda e Estados Unidos prosperou durante seu mandato. Temos muito trabalho a fazer, por exemplo, em várias áreas durante o próximo ano, quando a Irlanda assume a presidência de turno da União Européia (UE) e trataremos de firmar um acordo comercial com os Estados Unidos para favorecer o crescimento de ambas as economias”. Dilma Rousseff, que ligou para o presidente eleito, parabenizou Obama durante a abertura da 15ª Conferência Internacional Anticorrupção, que aconteceu em Brasília na quarta-feira, enquanto François Hollande, presidente da França eleito em maio (Imagem da Semana 71#), disse: “Saúdo a eleição clara dos estadunidenses por um país mais aberto e solidário, plenamente comprometido com o cenário internacional”.

O Presidente
Nascido em Honolulu, Havaí, no dia 4 de agosto de 1961, Barack Hussein Obama II é filho de um economista queniano e de uma antropóloga americana. Graduou-se em ciência política em 1983 e obteve o título de bacharel de artes no mesmo ano. Mais tarde, o futuro presidente ingressou na escola de direito de Harvard, uma das instituições de ensino mais prestigiadas do mundo. Em 1992, Barack Obama casou-se com Michelle LaVaughn Robinson, com quem tem duas filhas: Malia e Natasha.
A carreira política de Obama teve início em Chicago, onde era líder comunitário. Sua primeira eleição foi em 1996, quando foi eleito senador estadual, cargo que ocupou até 2004. Nesse ano foi eleito novamente senador, porém dessa vez ocupou o cargo federal.
Em 2008, foi o representante do partido democrata nas eleições presidenciais e derrotou o republicano John McCain, que tentava prosseguir com o trabalho de George W. Bush. Com a vitória, Barack Obama se tornou o 44º presidente dos Estados Unidos, o primeiro afro-americano a administrar a maior potência mundial.
Durante seu mandato, Obama tentou reerguer a economia americana, afetada pela crise de 2008, mas também teve importante participação na retirada de tropas americanas do Afeganistão e do Iraque, o que garantiu o Prêmio Nobel da Paz de 2009. Em seu mandato Obama também anunciou a morte de Osama bin Laden.
Com a reeleição, o presidente continua na Casa Branca até dia 20 de janeiro de 2017, quando passa o cargo para o presidente eleito em 2016.