Quarenta anos. Apenas quarenta anos foram necessários para um homem de Liverpool gravar seu nome para toda a eternidade, seja na história da música ou não. Isso por ser um excepcional compositor e membro de uma das maiores bandas de todos os tempos: The Beatles.
Uma verdadeira lenda da música, John Winston Lennon nasceu em 09 de outubro de 1940 e enfrentou algumas dificuldades familiares no início de sua vida, além de não ser um verdadeiro exemplo na escola. Sua primeira banda, que daria origem aos Beatles, foi formada em 1956, dois anos antes de John perder a mãe Julia.
The Quarrymen, como era chamada, tocava um gênero muito conhecido na época: skiffle, estilo com influência de jazz, blues e country. Foi após uma apresentação da banda que John Lennon conheceu Paul McCartney e não demorou muito para que ele fosse convidado a também participar da banda, apesar do receio inicial por parte de Lennon. Outro futuro membro dos Beatles a fazer parte do The Quarrymen foi George Harrison, que entrou para o grupo em 1958.
1960: ano que The Beatles passaria a marcar seu nome na história. Apenas nesse ano, a banda de John Lennon mudou seu nome em várias oportunidades, até chegar ao nome que se tornaria famoso e reverenciado no mundo inteiro. No início, além de Lennon, a banda era formada por Paul McCartney (guitarra), George Harrison (guitarra), Stuart Sutcliffe (baixo) e Pete Best (bateria), porém dois anos mais tarde Ringo Starr (bateria) também assumiria o grupo. Lennon, McCartney, Harrison e Ringo formariam então o quarteto mais famoso da música mundial.
Durante os dez anos em que os Beatles permaneceram na ativa, o grupo gravou mais de dez álbuns de estúdio e com isso construiu um legado que permanece até hoje, mesmo mais de quarenta anos depois do fim da banda. O primeiro compacto foi lançado em 5 de outubro de 1962, enquanto em 11 de fevereiro do ano seguinte, era gravado o primeiro álbum: Please Please Me.
A importância de John Lennon para os Beatles era tamanha que grande parte da produção musical da banda era de responsabilidade do músico, apesar de também contar com a participação de McCartney. A dupla assinava todas as músicas, e uma das mais importantes é All You Need Is Love, lançada em 1967. A ideia para a canção surgiu devido a um evento transmitido mundialmente e que deveria conter uma mensagem para ser entendida por todos. Na canção, Lennon diz: There's nothing you can know that isn't known; Nothing you can see that isn't shown; Nowhere you can be that isn't where you're meant to be; It's easy (“Não há nada que você possa saber que não pode ser conhecido; Nada que você possa ver que não possa ser visto; Nenhum lugar que você possa estar que não seja onde você deveria estar; É fácil”).
Em sua vida pessoal, John Lennon se casou com Cynthia Powell em 1962 e tentou esconder o fato de ser casado, para evitar o descontentamento das fãs. Desse casamento, Lennon teve um filho chamado Julian, que atualmente é músico e possui uma carreira cheia de altos e baixos.
O casamento com Cynthia durou até que em 1968, dois anos após Lennon conhecer a artista plástica japonesa Yoko Ono, eles iniciam um relacionamento amoroso. Nessa parte da história dos Beatles, a banda já vivia um momento conturbado e a participação de Ono nas gravações deixou o clima ainda mais pesado.
Mas antes da banda chegar ao fim, o grupo gravou seu décimo álbum: The Beatles (1968), conhecido como o Álbum Branco. Um dos melhores discos da história da música, esse álbum foi lançado como disco duplo em 22 de novembro e continha 30 faixas divididas em quase 94 minutos. Até hoje é aclamado pela crítica e adorado pelos fãs.
Três álbuns depois, o fim da banda foi anunciado por Paul McCartney em 1970 e no mesmo ano Lennon lança o álbum John Lennon Plastic Ono Band, seu primeiro trabalho solo após deixar os Beatles – sendo que já havia lançado outros trabalhos, apesar de ainda continuar na banda. No ano seguinte, o músico lança o álbum Imagine, seu maior sucesso em carreira pós-Beatles. A faixa que dá título ao álbum é considerada um verdadeiro hino da paz.
Os últimos anos de vida de Lennon foram marcados pelo consumo excessivo da bebida e por diversas confusões, incluindo a separação de Yoko, um caso com uma assistente, e a reconciliação com a artista plástica com quem teve um filho: Sean Lennon. John ainda se tornou um importante ativista político e gravou seu último trabalho, Double Fantasy, entre agosto e setembro de 1980, lançado poucas semanas antes de sua morte.
New York, segunda-feira, 8 de dezembro de 1980. Mark David Chapman, fã dos Beatles, aborda John Lennon pedindo um autógrafo. Horas depois, já durante a noite, o rapaz acerta quatro tiros em Lennon, que vem a morrer depois de perder 80% de seu sangue. Segundo Mark, ele ouviu vozes dizendo que deveria cometer esse crime. Em 1981 foi julgado e condenado à prisão perpétua.
A morte de John Lennon aconteceu prematuramente; uma morte que colocou John Winston Lennon no seleto grupo de Majestades Eternas da música mundial. Um nome que continuará no coração dos fãs e que foi eternizado pelas canções em mais de duas décadas de uma carreira musical incontestável.

"Você pode dizer que eu sou um sonhador, mas eu não sou o único. Eu espero que um dia você se junte a nós e o mundo viverá como um só." – John Lennon em Imagine, música de 1971

John Lennon - 09/10/1940 - 08/12/1980