A Entidade (Sinister)


Resenha: Se não devemos julgar um livro pela capa, isso também serve para os filmes, principalmente após A Entidade, que como terror não passa de mais um filme bobo, enquanto como um suspense policial funciona razoavelmente bem.
O filme narra a história da família de Ellison (Ethan Hawke), um conhecido escritor de livros policiais que acaba de se mudar com sua família para uma pequena cidade. Ellison vive um momento de crise e tenta encontrar inspiração e fatos para um novo trabalho, já que seus livros retratam sempre histórias reais.
Anos antes, nessa mesma casa, quatro pessoas de uma família foram enforcadas e Ellison descobre isso após assistir um dos rolos de Super-8, formato cinematográfico que ficou conhecido na década de 60. Conforme assiste aos demais vídeos encontrados, que também mostram outras famílias assassinadas, o escritor percebe uma relação entre os crimes e passa a investigar, sem imaginar as consequências para ele e principalmente sua família.
Quando vemos o pôster de A Entidade pela primeira vez, o que imaginamos é que o filme terá mortes e sustos do início ao fim e que apenas um sobreviverá, porém o filme se foca muito mais no suspense e na investigação do que na própria entidade que dá título ao filme no Brasil. A presença da entidade é sim explorada – às vezes de uma forma que jamais imaginaríamos -, porém quase nunca isso é suficiente para assustar, principalmente quem está acostumado com o clima sinistro dos filmes de terror/suspense.
A investigação chega ao ponto de envolver simbolismos e histórias originadas de um tempo distante, e aparentemente tudo é muito confuso, mas aos poucos o espectador vai ligando todos os pontos e entendendo o que está por trás das mortes dessas famílias. Antes mesmo do desfecho da história, sabemos o que irá acontecer e ficamos apenas na expectativa de como isso acontecerá.
Apesar de dificilmente assustar quem está acostumado, o filme possui cenas realmente sinistras e que deixam todos apreensivos, isso devido ao clima de suspense criado. Algumas cenas bobas, que você se pergunta o motivo de terem sido usadas, e outras que você aplaudiria os produtores de pé também, a maioria delas se aproveitando dos filmes em Super-8, usado de maneira correta para engrandecer a qualidade do filme e a história, que mesmo simples não deixa de atrair a atenção.
Muitas vezes as personalidades dos protagonistas desses filmes chegam a irritar, mas felizmente não é o caso em A Entidade, filme em que o escritor Ellison se preocupa muito com o fracasso e o ator Ethan Hawke faz um excelente trabalho, dando vida a um personagem complexo e por vezes também paranoico, com motivo. O atordoamento psicológico do protagonista e a forma como ele se envolve na investigação é totalmente convincente, principalmente pelo fato de Hawke se envolver com o personagem da mesma forma que o espectador pode se envolver com a história.
Do mesmo diretor de O Exorcismo de Emily Rose, A Entidade mudará a visão de todos sobre determinados tipos de pessoas – tome cuidado, pois a entidade pode estar em quem você menos espera. Como citado, como terror A Entidade não passa de mais um filme bobo, enquanto como um suspense policial agrada e é uma boa escolha para quem não quer se arriscar a assistir os filmes mais pesados do gênero. E já que se trata de um filme de terror/suspense, preste muita atenção na tela do computador e dos projetores, para não perder nenhum detalhe.