O Rosto que Precede o Sonho, Maurício Gomyde, 1ª edição, Brasília-DF: Porto 71, 2012, 176 páginas.

Autor dos livros O Mundo de Vidro (Resenha) e Ainda Não Te Disse Nada (Resenha), Maurício Gomyde tem conquistado fãs a cada novo trabalho literário e provando seu talento para os leitores que já estão encantados com a sua escrita.
Seu mais recente trabalho é o livro O Rosto que Precede o Sonho, que conta a história de Tomas Ventura, um rapaz que levava uma vida perfeita e conquistou relativo sucesso ao criar a trilha sonora de um filme. O sucesso foi tanto que Tomas foi convidado para participar da produção de um filme de Hollywood, uma oportunidade única e irrecusável. Mas ele recusou e apenas uma mulher pode mudar a decisão de Tomas: a encantadora Aurora.

“- Opa! - Tomas concordou e levantou a cerveja. - E... cara, uma mulher como essa aí que veio hoje me faz acreditar que, realmente, o sexo feminino está num patamar acima do nosso - deu um gole. - É o momento em que as duas teorias, evolucionismo e criacionismo, fazem sentido ao mesmo tempo: homens descendentes dos macacos; mulheres, criadas por Deus” (pág. 28).

Faltam palavras para descrever mais uma obra do autor e sendo assim, fica difícil definir qual dos três livros é o melhor. A única certeza é de que, definitivamente, Maurício Gomyde se tornou um dos autores favoritos; o tipo de autor que torcemos por novas obras, já que sabemos que independente do que encontrar, vamos nos emocionar e ficar encantados com uma história simples, porém muito bela.
Assim como os livros anteriores, O Rosto que Precede o Sonho deixa o leitor sorrindo, mas esse sorriso pode logo desaparecer, dando lugar a lágrimas nos olhos ou até mesmo um aperto no coração. Com apenas 176 páginas, o livro consegue misturar todos os tipos de sentimentos, mas acima de tudo mostrar sobre o verdadeiro amor e os sinais frequentes em nosso dia-a-dia. Sinais esses que podem dizer muita coisa.
Aparentemente, muita coisa do que acontece nessa obra não tem relação nenhuma e pode ser considerada apenas uma forma de completar o cenário, por exemplo. Mas aos poucos vamos percebendo que nem tudo é tão simples como parece e por fim entendemos o significado das músicas usadas e até mesmo das borboletas, tão importantes – seja para dar um clima diferente ou não -, ou dos próprios sonhos.

“- Relaxa. Tem cada vez mais mulher no mundo. Dizem que tem mais mulheres do que homens, até. Li que só aqui na cidade tem um vírgula dois mulheres pra cada homem.
- Então tem alguém desfilando com três vírgula seis mulheres por aí, porque eu e você estamos sozinhos - Tomas se abriu de rir” (pág. 53).

Com diálogos bem desenvolvidos e engraçados, o autor procura deixar o livro o mais real possível e para isso faz uso de palavras “bestas” – no bom sentido, que fique claro - e frequentemente usadas por todos nós, principalmente em uma relação de amizade verdadeira. A história em si também é muito real, tanto que fatos reais se misturam com a ficção de uma forma muito bem pensada, resultando assim em um final apropriado. E quando você pensa que tudo vai se perder, eis que Maurício Gomyde te surpreende positivamente.
Ainda nas primeiras páginas, percebemos a importância da música para o desenrolar da história. Como músico, em todos os seus livros o autor faz referência a trechos e bandas/cantores, mas em nenhum dos livros anteriores essa arte ficou tão envolvida – talvez pela profissão do protagonista. O Rosto que Precede o Sonho não seria nada sem a trilha sonora e esse detalhe se tornou ainda mais essencial quando percebemos a importância da música para a história em si. No fim, Maurício mostrou que a própria vida só tem sentido com a presença de uma boa música.
A vida também só tem sentido com a presença de um verdadeiro amor e essa é outra importante mensagem da obra. A química existente entre os personagens também é fundamental. Apesar de o amor surgir de maneira boba, em nenhum momento os passeios do casal ou suas conversas se tornam automáticas, e ainda pode servir de inspiração, tamanho o sentimentalismo e a realidade por trás de cada uma das cenas.
Além de divertido e emocionante, O Rosto que Precede o Sonho possui personagens marcantes e é uma obra reflexiva, que inclusive explora o cenário. Novamente o autor cria uma estrutura diferente para as famosas comédias românticas. Se todas as obras do gênero fossem tão bem estruturadas, teríamos sempre um bom motivo para dar chance e se encantar com essas histórias. Uma obra que já no início do ano entra para os favoritos e dificilmente vai perder esse lugar. Ah, uma dica: deixe para ler os agradecimentos após a leitura do livro. As reviravoltas ficarão mais emocionantes.

“- Queria te contar uma coisa - Tomas sussurrou no ouvido dela. - Lembra quando eu perguntei se você existe e chegamos à conclusão de que, das duas uma: ou isto aqui é um sonho eterno ou você é real demais?
- Lembro. Enfim chegou a alguma conclusão?
- Cheguei. A de que é um sonho eterno e você é o rosto que o precede, o que está no meio e aquele que estará até o final dele, aconteça o que vier a acontecer. Você me faz melhor, me faz sentir vontade de levantar cedo e encarar o dia de um jeito que nunca senti. Obrigado por ter aparecido na minha vida.
Ela o apertou ainda mais forte contra seu peito” (pág. 110).

Para adquirir seu exemplar de O Rosto que Precede o Sonho, acesse o site do autor Maurício Gomyde clicando aqui.

Deixe um comentário