Homem de Ferro (Iron Man)

Estreia: 30 de abril de 2008

Resenha: Por muito tempo os fãs dos super-heróis dos quadrinhos ficaram órfãos de uma grande produtora de filmes. Isso chegou ao fim, definitivamente, em 2008 com a primeira produção da Marvel Studios: Homem de Ferro.
Baseado no personagem criado por Stan Lee em 1963, Homem de Ferro conta a história do bilionário Tony Stark (Robert Downey Jr.), que, entre outras coisas, é conhecido por ser um excepcional inventor e diretor das Indústrias Stark, uma fabricante de armas militares. Mas, apesar de todas as suas indiscutíveis qualidades, Stark é também um playboy e tem algumas atitudes questionáveis.
Como representante da indústria, Stark vai para o Afeganistão demonstrar a nova arma de sua empresa, porém é sequestrado por um grupo terrorista. Para ser libertado, Stark precisa construir uma arma devastadora, mas aproveita a oportunidade para criar uma armadura de alta tecnologia, que o ajuda a fugir e o transforma no Homem de Ferro.
Homem de Ferro é de longe o melhor filme solo da Marvel Studios, mas isso se deve principalmente ao conjunto da obra. Comparando com os demais filmes, a disputa com Thor (Resenha), seja na parte gráfica ou no roteiro bem elaborado, é bem apertada, porém todos os demais pontos desse filme superam o do filme lançado em 2011.
O diretor Jon Favreau explora os pequenos detalhes do roteiro criado em oito mãos, e não deixa o filme se perder em nenhum momento. Com muita ação, assim como o esperado, encontramos também um humor característico, uma trilha sonora impecável e empolgante, e por fim atuações que no teatro seriam dignas dos mais sinceros aplausos.
O grande responsável por isso é de longe o sempre grandioso Robert Downey Jr., mas assim como em Sherlock Holmes e Sherlock Holmes: Jogo de Sombras (Resenha), Downey Jr. interpretou um personagem que parecia ter sido feito especialmente para ele. Em todos os sentidos, mas principalmente em sua personalidade forte, sua vaidade e até mesmo seu jeito conquistador – das mocinhas indefesas ou dos machões indestrutíveis.
Aparentemente, Tony Stark é apenas um personagem egocêntrico e sem nada de novo a passar. Engana-se quem pensa isso, ou que o herói em questão é mais do mesmo. Ele é de longe o personagem mais complexo, talvez de todo universo Marvel Comics, o melhor elaborado e ainda o mais engraçado – lembrando que esse não é o foco principal de Homem de Ferro. Após os dois filmes, o personagem até então pouco conhecido se tornou um dos mais adorados – novamente em uma disputa apertada com Thor.
Ao longo do filme, vamos acompanhando todo o desenvolvimento da armadura do Homem de Ferro, e até mesmo nisso os produtores acertaram, dando uma realidade – a medida que isso é possível – maior e mais aceitável. A luta com o antagonista empolga, e dá a certeza de que esse não poderia ser o único filme do personagem, tanto que Tony Stark já apareceu em outros filmes. No fim, Homem de Ferro deu o pontapé inicial para as produções da Marvel Studios, que ficou com uma responsabilidade muito grande para os filmes seguintes. Uns bons, e outros nem tanto, mas todos com o cuidado que os personagens dos quadrinhos sempre mereceram.