Corações Entrelaçados, Leandro Schulai (organizador), 1ª edição, São Paulo-SP: Andross, 2013, 224 páginas.
Skoob: Clique Aqui

Diversas são as antologias lançadas todos os anos, e elas costumam ter o objetivo de reunir várias visões sobre um mesmo assunto, dando a oportunidade para escritores dos mais variados tipos. O responsável pela antologia Corações Entrelaçados, lançada em janeiro, foi o republicano Leandro Schulai, autor do livro O Vale dos Anjos – O Torneio dos Céus.
Corações Entrelaçados é uma antologia que reúne contos sobre o amor, mostrando várias maneiras em que esse sentimento tão essencial em nossa vida se manifesta. Na apresentação da antologia, Schulai diz que a ideia surgiu após perceber que não havia antologias com esse tema em nosso país, por isso não foi ele quem escolheu um tema, mas sim o tema que lhe escolheu.

“Meu coração já não o quer mais, pois ele sabe que o coração dele já pertence a outra pessoa. E nessa altura já não me importa saber quem é. A única coisa que eu queria saber era por quê? Por que ele fez isso comigo? Por que encheu meu coração de esperança para um dia jogá-lo fora como se fosse brinquedo?” (pág. 64 – Por que escutei meu coração, de Lara Luft).

Novamente a editora Andross deu a oportunidade para escritores iniciantes divulgarem seu trabalho. Nessa antologia, existem autores que estão publicando pela primeira vez, autores que já publicaram livros próprios e também aqueles que publicaram apenas em antologias. Essa diversidade é mais do que positiva, já que encontramos assim histórias verdadeiras, dramáticas, engraçadas, emocionantes e até mesmo fantásticas, provando que o amor existe independente de qualquer coisa.
Entre as variadas situações em que o amor se manifesta, encontramos reconciliações, personagens com sentimento de posse ou ciúme, atitudes que podem ou não acabar em um final feliz, o adeus a um verdadeiro amor e principalmente mudanças causadas em nome do amor. São contos com temas e situações diferentes, mas com um só objetivo: mostrar que o amor pode ser a salvação, mas também a ruína, frase que inclusive está na sinopse do livro.
Com 41 contos de 42 autores diferentes, já que um conto foi uma parceria de dois autores, Corações Entrelaçados se inicia com Rádio Pirata, conto de Davi Paiva, uma história simples que possui certa ligação com a música e totalmente divertida, que já mostra ao leitor o que esse pode esperar nas páginas seguintes. O livro segue com suas emocionantes histórias, sendo que muitas delas fazem relação com o título da obra, algo bem interessante por parte dos autores.

“Os dois se beijaram. O mundo ao redor já não existia. Era um dia de sol, simples, uma manhã de domingo que estava prestes a se tornar o maior bem de todo amor. Ana olhou para o céu, nenhuma nuvem, apenas raios solares, apenas um amor que seria para sempre”. (pág. 210 – Dias de Sol, de Vitor Emmanuell).

Como a internet está tão presente na vida das pessoas, e possibilita inúmeras situações pessoais/virtuais, os autores dessa obra não poderiam deixar de explorar essa ferramenta tão importante. Várias histórias possuem algo relacionado a internet, mas uma se destaca: Por que escutei meu coração?, da jovem Lara Luft. Com uma ótima escrita e uma história bem elaborada, o conto de Lara, apesar de mostrar um amor instantâneo, tem também o objetivo de passar lições e revelar consequências de um amor virtual, que pode sim existir, como também ferir.
De Vitor Emmanuell, o conto Dias de Sol pode ser considerado uma mistura do que existe em grande parte das histórias, já que narra um encontro casual que resultou em uma rápida conversa, onde o passado de uma personagem é revelado e o seu futuro escrito. Esse conto tem humor, sentimento, emoção, surpresa e passa a mensagem de que o amor pode sim reservar surpresas totalmente agradáveis.
O conto mais especial de Corações Entrelaçados é da conterrânea Carol Zambelli, de dezesseis anos, que estreia no mercado editorial com Uma Perda sem Volta. O conto é fruto de um trabalho dedicado especialmente para essa antologia, e segundo a própria autora, tem o objetivo de contar uma história que não foge da realidade, já que todos nós estamos sujeitos a se deparar com uma perda sem volta. Protagonizado por João, um senhor de 77 anos, esse conto narra um momento triste da vida do personagem, mas também prova ao leitor que um verdadeiro amor nunca morre, mesmo quando as adversidades impostas pelas famílias e pela própria sociedade parecem falar mais alto; parecem afastar todas as possibilidades de um final feliz.
Corações Entrelaçados é um misto de emoções. Um livro feito para os apaixonados de plantão, e também para aqueles que ainda buscam conhecer a verdadeira face do amor. Ainda como destaque, é possível citar Chuva de Novembro, do organizador da antologia, que é o conto mais surpreendente e emocionante, mas também O Privilégio de Amar, de Janyfer Mello, onde a autora mostra que para o amor nada é impossível e que todos nós, sem exceção, merecemos ter o privilégio de amar e ser amado.

“Dona Dolores guardara um grande amor dentro de si, e respondera com suas palavras na mesma carta, que, por sinal, nunca fora entregue de volta a seu remetente: Amar-te-ei até meu último momento, amar-te-ei até meu último sorriso, minha última lágrima, ou meu último suspiro!” (pág. 164 - Uma Perda sem Volta, de Carol Zambelli).

Deixe um comentário