Homem de Ferro 2 (Iron Man 2)

Estreia: 30 de abril de 2010

Resenha: No cinema, muito se questiona sobre as continuações, que muitas vezes não têm o mesmo brilho dos filmes anteriores, principalmente quando esses são bem sucedidos. O motivo para isso pode variar, e no caso de Homem de Ferro 2, o problema parcial é ter sido usado a mesma fórmula de Homem de Ferro (Resenha).
Nesse longa-metragem do diretor Jon Favreau, Tony Stark (Robert Downey Jr.) revela ao mundo a verdadeira identidade do Homem de Ferro e por isso se torna alvo do governo americano, que deseja a poderosa armadura criada por ele no filme anterior. Como Stark recusa a proposta do governo, esse passa a criar uma armadura semelhante, sendo que o responsável é Justin Hammer (Sam Rockwell), o maior inimigo do famoso playboy.
Homem de Ferro 2 é a primeira continuação produzida pela Marvel Studios e infelizmente não possui nada de novo a passar. Não que seja um filme ruim, pelo contrário, é divertido e interessante do princípio ao fim, porém falta aquele pequeno detalhe em sua estrutura que o diferencie do filme anterior e que não nos faça sentir como se estivéssemos assistindo mais do mesmo.
Com um humor característico, encontramos muita ação, alta tecnologia, personagens enigmáticos, ótimas sequências de batalhas, uma trilha sonora repleta do melhor do rock ‘n roll e, sobretudo um Tony Stark ainda mais narcisista, e porque não dizer focado nos seus objetivos. Talvez uma das duas coisas que pode ser considerada diferente é o lado familiar que envolve o protagonista, mas nada complexo a ponto de se destacar.
A segunda, e mais importante, é a presença da personagem Viúva Negra, interpretada por Scarlett Johansson. Apesar de não ter um filme próprio, a partir de Homem de Ferro 2, Viúva Negra passa a ganhar espaço entre os demais Vingadores e já em sua primeira aparição ela se destaca, tanto por seu talento, como pela indiscutível atuação de Johansson, que precisou de muito treinamento para fazer bonito, principalmente quando se trata de uma cena já no final – a melhor do filme, por mais incrível que possa parecer.
Homem de Ferro 2 dispensa comentários, isso porque todos os elogios em relação ao filme anterior também facilmente podem ser usados nesse caso. O problema não é o filme em si, mas sim a maneira como ambos são tratados de forma parecida. Quem quer diversão, é um filme mais do que recomendável; quem quer inovação, pode se decepcionar. De qualquer forma, resta torcer para que o próximo filme do personagem, previsto para 26 de abril, seja superior e isso é possível, principalmente se pensar que Jon Favreau deixa a direção – apesar de continuar na produção – nas mãos de Shane Black. Sangue novo pode fazer a diferença? Só o tempo dirá.