Os Vingadores (The Avengers)


Resenha: Os Vingadores foi um dos filmes mais aguardados e comentados do último ano. Um filme popular, não técnico. Um filme que uniu tudo o que a Marvel Studios já havia apresentado nos filmes anteriores, e isso conquistou a todos, tamanho o brilhantismo.
Nessa produção, o grande antagonista é Loki (Tom Hiddleston), que foi enviado para a Terra em uma missão que pode ajudar uma raça alienígena a dominar os humanos, e que para ganhar poder, rouba um cubo cósmico. Com isso, Loki consegue controlar Erik Selving (Stellan Skarsgard) e Clint Barton (Jeremy Renner), que passam a trabalhar ao lado do vilão.
Para tentar arruinar os planos de Loki, e salvar a vida de todos, Nick Fury (Samuel L. Jackson) reúne um grupo poderosíssimo com Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Steve Rogers/Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo) e Natasha Romanoff/Viúva Negra (Scarlett Johansson). Apesar de suas habilidades indiscutíveis, esses super-heróis possuem seus próprios interesses, e demoram a perceber que apenas a união entre eles fará a diferença.
Apenas o fato de Os Vingadores unir vários personagens dos quadrinhos seria motivo suficiente para não ser um filme qualquer. Mas, como qualquer filme que gera expectativas, o medo em relação a essa produção era de que algo não funcionasse como o esperado, o que felizmente não aconteceu – ao menos para quem já imaginava que determinadas coisas não poderiam ser destacadas. O que de fato aconteceu foi a união dos pontos positivos dos filmes anteriores, como o humor de Homem de Ferro (Resenha), os efeitos de O Incrível Hulk (Resenha), o desenvolvimento de Thor (Resenha), e as cenas marcantes de Capitão América: O Primeiro Vingador (Resenha).
Com ao menos sete protagonista, um número relativamente alto, os produtores precisariam encontrar uma forma de dar destaque para cada um deles. A história em si é simples, apesar de ter várias referências aos demais filmes, porém a personalidade de cada um dos heróis, em sua maioria já conhecida, se mostra como o ponto chave do filme, assim como os interesses de cada um deles, como já foi citado, o que gera os principais conflitos.
Se a história é simples, e para alguns pouco desenvolvida, a ação é de tirar o fôlego, por acontecer em mais da metade do longa, e o já característico humor é de tirar gargalhadas do início ao fim. Em cena, Robert Downey Jr. - Homem de Ferro 2 (Resenha) - se sobressai em relação aos demais nomes do elenco, e a personalidade de Tony Stark novamente é a mais desenvolvida, mas nesse caso ganha um destaque maior por ter personagens tão distintos e que se completam.
Ter assistido aos filmes anteriores não é totalmente essencial, porém fará grande diferença – principalmente assistir na ordem cronológica -, já que o espectador aproveitará ainda mais cada detalhe existente. Outro ponto que deve ser lembrado é sobre a participação de Viúva Negra e Gavião Arqueiro, interpretados por Scarlett Johansson e Jeremy Renner, respectivamente. Os dois únicos personagens que ainda não possuem filmes próprios m o mesmo destaque do que os demais Vingadores, e com a mesma importância para o desenvolvido do enredo. Podem não ser tão populares ou poderosos como Homem de Ferro e Thor, por exemplo, mas não deixam de ser essenciais, e mostraram que seus filmes solos podem sim conquistar o público.
O filme é de longe o melhor de super-heróis produzido nos últimos tempos. Com inúmeras cenas empolgantes, Os Vingadores foi produzido da melhor forma possível, seja em enredo, personagens, trilha-sonora e até mesmo efeitos especiais. O sucesso foi tanto que o filme quebrou recorde atrás de recorde, e poucas semanas antes de sua estreia já teve a continuação confirmada. A Marvel Studios continua acertando ao criar seu universo cinematográfico, e caso volte a unir personagens – não apenas na futura continuação -, tem grande chances de alcançar o mesmo sucesso.