As Aventuras de Tadeo


Resenha: Quantas animações que não foram produzidas nos Estados Unidos você assistiu ao longo de sua vida? Muito provavelmente sua resposta será “nenhuma” ou um número muito baixo e isso é totalmente compreensível, assim como é compreensível que essa realidade mude com o divertido As Aventuras de Tadeo, grande aposta do cinema espanhol.

Ao melhor estilo Indiana Jones, a animação dirigida por Enrique Gato conta a história de Tadeo (Óscar Barberán), um trabalhador fascinado por arqueologia e que por isso sempre se encrenca, mas nem por isso perde o espírito aventureiro. Após uma dessas encrencas, Tadeo acaba sendo confundindo com um importante arqueólogo e é enviado para o Peru para uma missão que pode entrar para a história.

No país sul-americano, Tadeo conhece a professora de arqueologia Sara (Michelle Jenner) e o guia turístico Freddy (José Mota), que passam a lhe acompanhar em sua luta contra uma organização criminosa que quer se aproveitar dos tesouros encontrados em uma cidade inca que acaba de ser descoberta. Juntos com um pássaro esperto e um cachorro atrapalhado, Tadeo, Sara e Freddy não poupam esforços para evitar que a organização entre em ação e atinja seus objetivos.
Que as animações são feitas especialmente para crianças é uma grande mentira, mas sempre existe aquele tipo de filme que seu enredo agradará apenas aos mais novos, que em sua maioria quer simplesmente se divertir na frente da telona. Esse certamente é o caso de As Aventuras de Tadeo, um filme bobo e que ainda assim consegue entreter.

Mesmo sem a magia existente nos filmes da Pixar (Valente) e da DreamWorks (O Gato de Botas), o filme se aproxima muito do que geralmente encontramos nas animações americanas, sobretudo na qualidade técnica, no entanto é sempre bom ressaltar: é uma produção espanhola e diferente dos grandes filmes das duas empresas citadas, não encontramos mensagens para vida toda ou uma fórmula mágica para alcançar o sucesso. Aí o motivo de o sucesso surgir nas opiniões, que dificilmente se divergem – como também dificilmente são totalmente positivas.

Longe de ser entediante, acompanhamos todas as aventuras de Tadeo e suas atitudes para evitar que a organização criminosa consiga se aproveitar da até então cidade perdida. Nessa disputa, os dois lados acabam forçando a barra com situações que dificilmente de fato aconteceriam, mesmo que em animações a imaginação possa falar mais alto. Isso acaba sendo um dos pontos que desagrada os mais velhos, que possuem outros motivos para se encantar.
Os fãs de Indiana Jones podem gostar da maneira pouco sutil com que o filme é inspirado no personagem criado em 1981, e nem mesmo o fato de tais aventuras não serem grandiosas prejudicam o entretenimento. Nesse caso, vale a pena acompanhar o belo trabalho gráfico, o humor leve e a trilha sonora digna de uma caça ao tesouro (o que deve ser motivo de orgulho para o cinema espanhol).

Em As Aventuras de Tadeo tudo é muito simples, às vezes vago, porém é uma ótima dica para as crianças, que com certeza terão um sorriso estampado no rosto – assim como os produtores tiveram ao conquistar duas categorias (Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Direção) do Prêmio Goya.