Jack – O Caçador de Gigantes (Jack the Giant Slayer)


Resenha: Após João e Maria – Caçadores de Bruxas, que surpreendeu positivamente, a expectativa em relação a uma nova adaptação dos clássicos contos de fadas era muito grande. A oportunidade para uma nova surpresa chegou com Jack – O Caçador de Gigantes, mas infelizmente a semelhança fica apenas com o título de ambas as produções.

Nessa história, Nicholas Hoult interpreta Jack, um jovem camponês que passa a viver com seu tio após a morte do pai e sempre busca formas de ter uma vida melhor. Certo dia, após ir para cidade tentar vender um cavalo, Jack conhece a princesa Isabelle (Eleanor Tomlinson), sem imaginar que será o responsável por salvá-la no futuro.

Durante essa visita, Jack é abordado por um monge que oferece um pacote com brotos de feijão como garantia pela troca do animal. O camponês demora a aceitar a proposta, mas acaba ficando com os feijões (mágicos), que não devem ser molhados.

Mais tarde, durante uma tempestade, a princesa Isabelle, que não aceita o que é imposto pelas tradições de sua família, acaba buscando abrigo na casa de Jack. Nesse momento, um broto do feijão é molhado, formando um grande pé-de-feijão, que posteriormente leva Jack e Isabelle para a terra dos gigantes. Isabella é então sequestrada pelas enormes criaturas e Jack, com toda sua bravura, precisa agir o quanto antes, com o “apoio” do exército do reino.
Jack – O Caçador de Gigantes está longe de ser uma adaptação para adultos, ainda que possua muita ação e um bonito romance ao longo de suas quase duas horas. E é justamente o tempo que aparenta não estar ao lado do roteiro, que poderia muito bem ser mais breve e ter um desfecho antes do que de fato aconteceu, já que esticou em um momento que não era mais necessário.

Por possuir uma aproximação de uma princesa com um camponês, percebemos que também existe a intenção de mostrar que as tradições foram feitas para serem quebradas, o que é um clichê aceitável. O que não é aceitável é o fato de Jack, que deveria chegar ao menos perto de caçar gigantes, está mais para alguém que fugindo conseguiu atingir o seu grande objetivo.
Dificilmente a produção conseguirá agradar por seus efeitos que não são totalmente inovadores e que, ao menos em alguns momentos, não aparentam estar buscando se aproximar da perfeição. Com isso, é possível dizer que atores e atrizes sejam os grandes diferenciais (Hoult por sua coragem e Eleanor Tomlison por sua beleza e delicadeza), conduzindo o filme sem deixá-lo se perder, até mesmo quando ele começa a se tornar extenso e com cenas que poderiam ser excluídas.

Diferente do filme citado no início, Jack – O Caçador de Gigantes não tem nada excepcional, no entanto também não pode ser considerado um filme ruim. Como a adaptação, funciona muito bem e, mesmo com certas mudanças, dá vida aquilo que todos conhecem desde a mais tenra infância. Mas ninguém pode se esquecer de que gigantes podem ser burros e nojentos em grande parte do tempo. Parece que, nesse caso, nasceram para isso.

Ajude a melhorar o Over Shock! Responda nossa pesquisa de opinião!

3 Comentários

  1. Não assisti a maioria dos filmes que trazem
    adaptações dos contos clássicos para uma versão mais “adulta’, se não me engano
    o último que assisti foi o Espelho,
    Espelho Meu, da Branca de Neve. Jack – O Caçador
    de Gigantes está na lista, afinal é um dos clássicos que considero
    mais interessante, o modo como João é “enganado” e suas aventuras ao subir na árvore
    tem muito material para discussão, a velha questão da moral. Depois de ler sua resenha
    desanimei um pouco para assistir, estava esperando que Jack realmente caçasse
    os gigantes, e também não esperava pela princesa Isabelle no enredo,não me lembro de algo semelhante em nenhuma
    versão do conto, mas todo filme de herói precisa da mocinha, e eu quase nunca
    tenho paciência pras mocinhas.

    ResponderExcluir
  2. Eu não curti muito essa adaptação, mas gostei de ver o Nicholas Hoult mais velho xD

    ResponderExcluir
  3. Uma pena que esse filme não tenha sido impactante. Quando começamos a olhar para o relógio no meio do filme, já vemos que algo não está certo. Rsrsrs
    Pelo menos as atuações foram convincentes.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir