Que a fantasia é um dos gêneros literários mais lidos do mundo todo mundo sabe. O que talvez poucos saibam é que esse gênero literário, responsável pela formação de muitos jovens leitores, proporciona a criação de inúmeros subgêneros de características particulares e que agradam leitores de várias faixas etárias.

No meio de tantos subgêneros, o urban fantasy talvez seja um dos mais lidos e mais próximos da realidade do Brasil, um país novo culturalmente falando. Como o próprio nome sugere, a principal característica desse subgênero é o uso de elementos fantásticos no meio urbano e por retratar, na maioria das vezes, a convivência entre humanos e seres com poderes sobrenaturais.

Foto: Reprodução
Entre os principais autores do urban fantasy é possível citar Cassandra Clare (Os Instrumentos Mortais), Neil Gaiman (Neverwhere), Alyson Noël (Os Imortais), Rick Riordan (Percy Jackson), Nicole Peeler (Garota Tempestade) e até mesmo Stephen King, um dos principais autores do mundo e principal influência de Ricardo Ragazzo, autor paulista que está lançando o livro de urban fantasy A Garota das Cicatrizes de Fogo.

“Ele (Stephen King) influencia tudo que envolve minha escrita, exceto meu estilo”, revelou Ragazzo durante entrevista realizada na última semana. Segundo o autor, seu estilo é muito mais objetivo por sempre buscar a melhor forma de terminar uma cena. “Jamais conseguiria escrever um livro de mil páginas (Pelo menos, acho que não)”, brinca ao fazer uma referência à quantidade de páginas de alguns livros de King.

Autor de 72 Horas para Morrer, lançado originalmente em 2011, Ricardo Ragazzo garante que quem gostou de seu primeiro livro, marcado pela fluidez das cenas e desenvolvimento do enredo, ficará feliz com seu novo trabalho. O autor comenta ainda que quem já leu A Garota das Cicatrizes de Fogo “disse que o ritmo do livro foi mantido, mas a escrita está mais madura”.

Apesar de seu comentário, Ragazzo diz não saber avaliar se houve uma evolução pessoal desde o lançamento de seu primeiro romance, um livro com um excesso de violência que tinha a intenção de impactar. Dessa vez o livro é menos violento e o autor explica o por que: “Meu primeiro livro, na minha opinião, tinha que ser marcante e criei uma história polêmica por conta disso. Os riscos que corro são sempre de caso pensado, e 72 Horas para Morrer foi um projeto arriscado”. “Você sabe o quanto ele é polêmico”, completa.

Ao comentar sobre A Garota das Cicatrizes de Fogo, Ricardo Ragazzo diz que esse não era seu segundo livro e que já havia escrito 20% de outra história quando percebeu que ela não estava pronta para ser contada. “Enquanto lutava com a dúvida de persistir ou desistir, tive um sonho em que uma garota queimada acordava em um hospital sem cicatriz alguma. Adorei a ideia e pensei ‘vou fazer disso uma história’”, revela. O autor, que é um dos fundadores da República dos Escritores, disse que após o sonho foi necessário apenas criar uma história envolvente.

A Garota das Cicatrizes de Fogo, publicado pela editora Novo Século, conta a história do personagem Johnny Falco, que depois de quatro anos do desaparecimento de sua filha e a morte da esposa descobre uma pista que pode ajudá-lo a encontrar uma solução para o caso. Paralelamente, Lisa Gomez, que seis anos antes teve 80% do seu corpo queimado, acorda em um hospital e descobre que todas as cicatrizes de seu corpo desapareceram. É quando o destino de ambos os personagens se encontram que acontece o desenrolar da história.

Em seu primeiro livro, Ricardo Ragazzo nos apresentou ao personagem Júlio Fontana, que possuía um temperamento explosivo e isso resultou em vários comentários. “(As pessoas) ficam surpresas com as atitudes dele, e eu acho isso engraçado. Vemos coisas muito mais impactantes vindas de policiais no nosso dia-a-dia”, disse. Para o autor o fato de um serial killer estar próximo de Júlio influenciou muitas das atitudes do personagem, que queria salvar a sua filha. “Jack Bauer e John McClane, baby”, brinca. O novo livro também possui relações familiares, no entanto Ricardo afirma que Johnny Falco não possui o mesmo ímpeto do personagem anterior. “Mas é um cara casca grossa também”, comentou.

Ao ser questionado sobre a atual procura do urban fantasy no Brasil, Ricardo disse que isso seria melhor respondido pela blogueira Alessandra Regina, do blog Alê Lendo, que foi a responsável pela primeira resenha de seu livro. O autor, considerado a grande aposta da Novo Século para atual Bienal do Livro do Rio de Janeiro, disse também que por recomendação da própria Alessandra começou a ler a série Os Instrumentos Mortais. Sobre isso revela: “o que eu posso dizer após ler o primeiro livro é ‘Vim para ficar nesse estilo’”.

Já sobre o futuro de sua carreira, o escritor disse que 72 Horas para Morrer teve sua tiragem esgotada e que será lançada uma segunda edição com uma capa nova. Ele ainda comentou sobre um antigo projeto ao lado do escritor Thiago Ururahy: “uma série de infortúnios acabou nos impedindo de concluir a obra como livro, mas adaptamos para roteiro e enviamos como projeto para série de TV”. Por fim, Ricardo comentou que começou a escrita do seu próximo livro, apesar de estar no começo. “Posso adiantar que a história será bem diferente e meu protagonista é um cara que matou esposa e filha. Imagina o que não vem por aí?”. “Como diz minha esposa ‘Se esse é o protagonista, não quero nem ver o antagonista’”, concluiu.

O Autor
Foto: Reprodução
Paulistano, Ricardo Ragazzo nasceu na década 70 e atualmente trabalha como administrador de empresas. Publicou seu primeiro livro, a.C/d.C (antes destes Contos – depois destes Contos), pela editora Baraúna e organizou antologias pela Andross Editora, incluindo Tratado Secreto de Magia - Vol. 2. Recentemente foi convidado para participar da antologia Dark Policial, organizada por Bruno Anselmi Matangrano e Debora Gimenes. Além disso, foi um dos fundadores da República dos Escritores e teve seu primeiro livro, 72 Horas para Morrer, publicado pelo selo principal da editora Novo Século.

A Garota das Cicatrizes de Fogo foi lançado originalmente na Bienal do Livro do Rio de Janeiro com uma tiragem três vezes maior do que o primeiro livro do autor. O livro será lançado ainda em São Paulo e provavelmente também em outras cidades do país.

Quem tiver interesse em adquirir A Garota das Cicatrizes de Fogo pode acessar o site oficial da editora Novo Século clicando aqui.

A entrevista completa será publicada em breve.

14 Comentários

  1. Gabriela Costa e Silva2 de setembro de 2013 15:42

    Adoro esse gênero, tudo o que já li que se encaixa nele é ótimo! Não conhecia nenhuma obra do autor, mas todas me chamaram a atenção!
    Na minha opinião, só a capa de "A garota das cicatrizes de fogo" que ficou a desejar, quando olhei de relance pareceu que a cabeça da menina tava virada ao contrário! Oo
    hahahaha
    Mas do outro eu gostei... e em relação a conteúdo, os dois parecem ser ótimos! ^^

    ResponderExcluir
  2. Estou participando de um book tour do primeiro livro do autor (72 HORAS PARA MORRER). Estou muito ansioso para chegada dele, pois ainda não li.
    Nossa esta capa ficou lindaaaaaa demais, meu Deus. Novo Século está realizando um ótimo trabalho com os Novos Talentos.


    Abraços
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Rick eu adoro ler seus posts, sempre muito bem escritos que fico encantada!
    Eu já vi A Garota das Cicatrizes de Fogo em outro blog e fiquei interessaddíssima para lê-lo, tanto pela sinopse, quanto por essa capa belíssima. Mas agora, sabendo de tantos detalhes sobre o autor e suas perspectivas, estou ainda mais curiosa.
    Eu sou uma fã de Os Instrumentos Mortais e se o Ricardo resolver ficar neste estilo, será muito bem vindo. Eu pelo menos, adoroooo!
    Bjus querido.


    www.lerepensar.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ri! Ótima postagem, apesar de grande demais. Você PRECISA aprender a escrever menos, menino! Assim a minha vista não aguenta!
    Eu amo a capa desse livro do autor e gostei muito de saber mais sobre ele. E a forma com a qual ele escreveu a história, inspirado pelo sonho... até me arrepiou!
    Desejo muito sucesso a você e ao autor, com esse novo lançamento. Beijo!
    http://docesabordoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Capricharam mesmo ehm!
    Espero que logo saiam resenhas sobre o livro para se confirmar que ele é bom!
    Fiquei encantada em conhecer mais sobre o autor tb;


    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li nada do Ricardo Ragazzo, mas cada vez mais estou ouvindo falar sobre ele e tenho razões para acreditar que sua reputação o precede. É tão bom ver quando um autor encontra seu lugar na literatura e, ao que me parece, o que ele escolheu está caindo no gosto de todas as idades.
    Fiquei ainda mais curiosa para ler o quanto antes seus dois livros, afinal, só ouço coisas boas sobre sua escrita e claro que um autor desses não pode passar despercebido.
    Adorei a matéria, conseguiu chamar minha atenção para "A Garota das Cicatrizes de Fogo" (que, aliás, possui uma capa belíssima) e fez com que eu considerasse passá-lo na frente de muitas outras leituras.


    Beijos,

    Only The Strong Survive

    ResponderExcluir
  7. Espero que você goste da Filipe. É um dos meus favoritos.
    A NS faz um excelente trabalho com os novos talentos, mas vale a pena ressaltar que o Ragazzo enviou seu primeiro livro para o selo "Novos Talentos", mas foi publicado pelo selo principal devido a qualidade de sua obra.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Como não ficar encantado com o seu comentário, Gil? Muito obrigado! Fico muito feliz que goste das minhas postagens.
    Não li Os Instrumentos Mortais, mas agora com a dica dele, um dos meus autores favoritos, sei que preciso ler o quanto antes.
    Beijos :D

    ResponderExcluir
  9. Vê, se você passar os livros do Ragazzo na frente de outros tenho certeza que não irá se arrepender. Quer dizer... Se você esperar por uma obra com elementos fantásticos, claro.
    Em breve vou resenhar essa obra também. Fique de olho :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Bom... esse genero de livro não é um dos meus favoritos... mas parece ser legalzinho...

    ResponderExcluir
  11. Michelli Santos Prado27 de setembro de 2013 09:12

    Olá Ricardo! Tudo bem?

    Quando li este livro pela primeira vez, e li sua sinopse fiquei surpresa e contente que saber que o autor é brasileiro. Gostei bastante da ideia e da historia e quero poder ler o livro e prestigiar o autor. E a edição do livro está lindíssima.

    ResponderExcluir
  12. Eu estou super ansiosa para ler esse livro, me apaixonei pelo Johnny Falco. Quando vi a primeira resenha desse livro, já fiquei animada. É o gênero que mais tenho lido atualmente e que gosto muito. Fora que a capa desse livro está linda demais!!!

    ResponderExcluir
  13. Tenho o "72 Horas pra Morrer" aqui em casa. Ainda não o li, mas pretendo em breve. O interessante que acho no Ragazzo é que ele gosta de desafios. Ele não se prende a gêneros. Só posso dizer que estou bem curioso pra ler esse lançamento também.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  14. Ana Carolina Lopes3 de outubro de 2013 16:59

    Oi !

    Gostei bastante da capa dos dois livros , e espero ter eles na minha estante alguma dia . O que mais me chamou a atenção foi , o primeiro , o título , a capa , tudo está perfeito ;)

    ResponderExcluir