Tudo bem que não vivi os tempos “áureos” em que se ensinavam Estudos Sociais (ou Sociologia) nem Educação Moral e Cívica. Mas sei como eram as coisas e o que elas se tornaram hoje justamente porque estudei e continuo estudando. Creio que participar do “Fala, Davi!” une o útil ao agradável de eu precisar saber como são as coisas para escrever estes artigos ao mesmo tempo em que me conscientiza de como é o mundo da educação escolar.

Segundo um levantamento que fiz, as escolas hoje em dia oferecem:
  • Bolsa Família;
  • Leve Leite;
  • Serviço oftalmológico;
  • Serviço odontológico;
  • Uniforme escolar;
  • Material escolar;
  • TEG (Transporte Escolar Gratuito. Um programa para alunos que morem muito longe das escolas);
  • Livros (algumas recebem uma boa cota e fazem distribuições aos alunos, procurando incentivá-los a ler);
Além disto, as escolas contam com programas para familiarizar os jovens com o espaço como o Escola da Família além de terem equipes que (em hipótese) auxiliam os professores como diretoria, vice diretoria, coordenação e estagiários. E por via das dúvidas, fazem notificações ao Conselho Tutelar.

Quem vê, pensa que as escolas são boas por oferecerem tudo isto.

A meu ver, não é bem assim que as coisas funcionam.

Estou ciente que muitos programas que eu listei são exclusivos de São Paulo e que outras cidades e/ou estados não tem alguns deles ou tem outros diferentes. Todavia os programas de benefícios do governo são ligados unicamente a presença escolar como o Leve Leite e o Bolsa Família. TEG e material escolar são produtos que facilitam a vida de quem estuda (ainda que o material não seja da melhor qualidade possível, vejo que ele dura bem nas mãos de alunos educados pelos pais a preservarem as coisas) assim como o uniforme dá igualdade a todos (não importa se você adora sua camiseta da Hollister. Escola não é passarela) e os “serviços humanitários” como o Conselho Tutelar e os serviços oftalmológicos e odontológicos tornam a vida dos alunos carentes um pouco melhor.

Contudo o que isto gera, já que basta o estudante comparecer e dizer “presente” que está tudo resolvido? Pais que mandam os alunos para a escola:
  • Para se verem livres dos filhos (sim. Realidade dura e cruel com muitas crianças);
  • Para dar a eles o que comer;
  • Para receber benefícios do governo;
  • Para os pais poderem ir trabalhar.
Alguns podem achar que estou exagerando em tais afirmações. Só que infelizmente as condições de vida tornam as pessoas desesperadas e para alguns, escolas viram locais de refúgio enquanto tentam ganhar a vida ou conseguirem “se livrar” dos problemas.

A solução que podem me perguntar infelizmente não pode ser aplicada: por que não atrelam o ganho de tais benefícios a algo relativo ao desempenho (notas ou disciplina escolar) em vez de serem ligadas apenas a presença?

A resposta é simples: se os ganhos dependerem de algo tão rígido, muitos vão cair na malha fina. E as partes interessadas não vão tirar a verba que repassam para as escolas.

Conclusão: as escolas hoje são centros de assistência social, creche, fontes de renda alternativas (Bolsa Família não é prova de que a economia está estável. Geração de empregos, sim) e graças a progressão continuada, leis do ECA e medidas que tiram o poder do funcionário público, o ato de estudar bem vira último quesito desta lista. Além de opcional.

Obrigado a todos.

Davi Paiva da Silva nasceu em 22/03/1987, em São Paulo – SP. Está cursando Letras na UNICSUL, publicou o texto "18 anos sem Ayrton Senna" no site minilua.com, lança um capítulo por semana do seu romance "Coração de Fogo" no site www.recantodasletras.com.br, além de um microconto com a hastag #tweetcontos no twitter DaviTweetcontos e colabora com artigos no blog espadaarcoemachado.wordpress.com. No mundo impresso, participou das antologias de contos Corações Entrelaçados, Névoa, Quimera e Sopa de Letras, todas da Andross Editora.
Contato: davi_paiv@hotmail.com

5 Comentários

  1. Tenho dois irmãos em idade de educação escolar e me preocupo muito com o tipo de ensino dos tempos atuais, principalmente com essa de passar o aluno de série sem que ele tenha absorvido todo o conteúdo necessário. É tudo muito diferente da época em que eu estudava na escola pública, era preciso aprender pra passar, era necessário esforço. Os benefícios oferecidos pelas escolas aumentaram consideravelmente, e acho que de modo geral eles são bons para os alunos, mas poderiam ser melhores. Concordo plenamente com você quando coloca a questão da ligação desses benefícios ser a presença do aluno no ambiente escolar, quando deveria ser a agregação de conhecimento. Se o aluno tivesse que aumentar suas notas para então receber os benefícios teríamos uma melhora na educação, uma melhora na postura dessa criança como cidadã. Infelizmente
    as escolas são como centros de assistência social, seu papel de ensinar o
    aluno, prepara-lo para algo além da escola não é mais o ponto central, e com isso quem mais perde é o aluno.

    ResponderExcluir
  2. Excelente o post e as informações passadas. Porém nem tudo que você diz sai dos papeis. Posso ver em minha escola que muito dessas coisas não são aplicadas. Como uniforme e transportes gratuitos não temos. Livros somente didáticos, e de literatura não vindo de doações pessoais... e outros fatores.
    O governo quer que os alunos passem mesmo sem aprender, pois ter cidadães inteligentes não é lucro para eles, e sim prejuízo.


    Abraços!
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gabriela Costa e Silva18 de setembro de 2013 11:50

    Ótimo post mesmo, apesar de muitas coisas não serem aplicadas em todos os lugares. Aqui na minha cidade, falta muito pra algumas escolas serem consideradas boas!

    ResponderExcluir
  4. O que você falou é a mais pura realidade dura e crua. Também acho que seria interessante essa ideia de ser de acordo com o desempenho escolar. Mas o que se pode fazer?!?!
    Outra coisa que eu acho absurdo é essa questão de aprovação sem o aluno merecer. Enfim, acho que o Brasil deveria ser redescoberto.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  5. Ana Carolina Lopes3 de outubro de 2013 17:29

    É realmente triste essa situação , e eu te dou toda a razão , é triste mais é a realidade . Estudei só até a 8ª série e sou testemunha de que muito disso aí é só balela do governo , nunca me deram uniforme , se abiblioteca tinha algum livro que não fosse didático é porque alguém não queria mais e tinha dó de jogar fora , e por isso acabava doando para escola , mas do governo mesmo não vinha nada .

    ResponderExcluir