O Silêncio de Melinda
Título Original: Speak
Diretor: Jessica Sharzer
Duração: 92 minutos
Gênero: Drama
Estreia: 20 de janeiro de 2004

Uma única noite foi capaz de mudar radicalmente a vida de Melinda Sordino (Kristen Stewart), que por ter chamado a polícia durante uma festa, é isolada por todos e precisa conviver com a solidão enquanto toda a turma se sente empolgada pelo primeiro dia do ano letivo. A presença de Melinda é quase insignificante, mas nem por isso as pessoas ao seu redor deixam de perturbá-la.

Conforme convive com a angústia de ter que se manter calada sobre o que de fato aconteceu durante a festa, a jovem busca formas de se expressar e lidar com a solidão. As aulas de arte servem de refúgio, assim como a presença do Sr. Freeman (Steve Zahn), o professor que aparentemente é o único a se preocupar com a tristeza estampada na face de Melinda.

Adaptação do livro Fale! (Valentina - 2013), escrito por Laurie Halse Anderson (que possui uma breve aparição em uma cena), O Silêncio de Melinda é um filme independente e por isso não possui nada muito excepcional. Engana-se quem pensa que isso surpreende, afinal, apenas um milhão de dólares foram usados para a produção, quarenta vezes menos do que Crepúsculo, por exemplo.
No geral, O Silêncio de Melinda funciona como adaptação de uma obra literária, apesar de obviamente não mostrar tudo o que encontramos no livro de 1999. E mesmo sem causar a mesma angústia de Fale!, o filme não deixa de ter seus momentos impactantes. Ainda nas primeiras cenas, por exemplo, o longa-metragem mostra a que veio quando Melinda faz riscos em seus lábios como se os costurasse e se silenciasse definitivamente, evitando assim revelar seus mais intensos segredos.

Apesar da curiosidade em assistir ao filme surgir logo após a conclusão da leitura, saber que Kristen Stewart era a protagonista causava certo receio. Muitos dizem que ela já se destacou em outras produções, mas até então não conhecia os melhores trabalhos da atriz e o medo de ser mais do mesmo era claro. E felizmente ela consegue se destacar da mesma forma que Steve Zahn.
Quatro anos antes do já citado Crepúsculo, filme que lhe deu fama mundial, Stewart consegue agradar por sua atuação. O motivo de isso acontecer é que aparentemente a personagem parece ter sido criada especialmente para ela e todos os críticos, que dizem que a atriz não passa emoção alguma em suas atuações, precisarão encontrar novos argumentos. Dessa vez é necessário tirar o chapéu.

Infelizmente ainda não é possível transmitir em um filme a mesma tensão psicológica das obras literárias, que têm como aliada algo belíssimo como as palavras. Seria necessário, talvez, um filme totalmente narrado, o que obviamente é inviável – ainda que muitas cenas sejam assim. Dessa forma, O Silêncio de Melinda não causa o mesmo aperto no coração em quem o assiste, mas não deixa de se destacar, principalmente por ter sido produzido com tão poucos recursos e tratar de temas reais na vida de adolescentes, nos deixando com nojo da realidade humana e mostrando que devemos estar alertas em cada expressão, silenciosa ou não, de nossos jovens.

9 Comentários

  1. Gabriela Costa e Silva18 de setembro de 2013 12:02

    Eu tenho esse filme na lista dos que quero ver (no meu perfil do filmow) a um bom tempo, e por incrível que pareça não sabia que era adaptação de um livro! =O
    Preciso ver o filme e ler o livro o quanto antes!

    ResponderExcluir
  2. Eu já havia visto foto deste filme por causa da Kristen, nossa ainda falam que ela é bonita! HAHAHA Sou mais a Emma Watson.
    Ainda não assiste o filme, quem sabe seja o próximo da minha lista?
    hahaha


    Abraços
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oieeeee, já vi esse filme há muitos anos atrás e ele me agradou, o que já não posso dizer da atuação da Kristen. Acho que ele é bem complexo e poderia ter passado mais coisas se a atriz fosse menos ruim, mas tudo bem...

    O tema abordado é realmente polêmico e eu achei que nao foi tão bem colocado. Enfim, o roteirista não foi feliz na adaptação.

    Beijos, @_RayPereira

    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Confesso que é estranho falar da atuação da Stewart, mas dessa vez ela conseguiu se sair bem. Como eu disse, talvez seja pela própria personagem, que não consegue se expressar naturalmente devido ao seu trauma.
    Independente disso, o filme de fato consegue deixar o leitor angustiado.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Filipe, acho que o tempo fez muito bem para a Kristen (nesse filme ela tinha 13/14 anos) e ela ficou mais bonita, mas também nada exagerado. Da geração dela existem muitas atrizes melhores em questão de belaza e talento, claro.
    Enfim, espero que você goste do filme quando tiver a oportunidade de assistir.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Michelli Santos Prado27 de setembro de 2013 10:36

    Já li algumas resenhas sobre Fale e sempre li que tinha um filme sobre o livro, e fiquei feliz de saber aqui no meu blog o nome dele O Silêncio de Melinda. Quero poder ler o livro em breve e depois procurar assistir o filme =)

    ResponderExcluir
  7. Tive conhecimento desse filme depois que soube do lançamento de "Fale!" pela Editora Valentina. Legal saber que a Kristen Stewart mandou bem nesse filme, pois em todos os que assisti dela, ela está sempre com a mesma cara e trejeitos. Realmente é impossível que um filme seja tão impactante quanto o livro, mas se chegar pelo menos próximo, já vale o trabalho.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Ana Carolina Lopes3 de outubro de 2013 17:40

    Eu acabei de ler sua resenha de Fale! O livro eu não sei se vou arriscar , mas o filme com certeza , afinal , é a Kristen né !!!
    Pelo orçamento dá pra ver que não é um daqueeeles filmes como os de grandes superproduções , mas acho que vale a pena assistir ;)

    ResponderExcluir
  9. O mais engraçado é ver muita gente se surpreendendo pela atuação da Kristen KKK Acho que a personagem não exigiu muito dela, mas talvez ela tenha "entrado" na personagem e nunca mais saído, já que continuou sempre o mesmo :x Vai saber, né?
    Abraços!

    ResponderExcluir