A Garota das Cicatrizes de Fogo, Ricardo Ragazzo, 1ª edição, Barueri-SP: Novo Século, 2013, 256 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Quatro anos após o desaparecimento da filha e a morte misteriosa da esposa, Johnny Falco descobre uma pista que aparentemente poderá ajudá-lo a solucionar esse mistério. Um homem acaba de ser morto e seu cadáver possui as mesmas características da esposa de Falco: o corpo não passa de um esqueleto com pele.

Paralelamente a isso, após seis anos enfrentando o inferno que sua vida se transformou depois de ter oitenta por centro do corpo queimado em um atentado, Lisa Gomez acorda em um hospital e constata uma grande mudança: todas as cicatrizes de seu corpo desapareceram misteriosamente.

Johnny Falco e Lisa Gomez ainda não sabem, mas suas vidas estão interligadas e apenas a união pode ajudá-los a entender esse mistério que agora, com novas mortes, está abalando a pequena cidade de Valparaíso.

“Olhou para os próprios braços e desesperou-se. A pele começou a borbulhar e a desaparecer como se estivesse sob o efeito de algum ácido. Um cheiro de carne queimada inebriou-lhe os sentidos. Os braços, agora, não passavam de carne cinzenta e ossos. Podia ver seus ossos! Um jarro de sangue espirrou pela boca, como torneira aberta. O que estava acontecendo? Desesperou-se” (pág. 10).

Quando gostamos de um livro e classificamos seu autor como favorito a ansiedade por suas futuras obras é muito grande. Mais do que isso, desejamos que essas obras sejam tão boas quanto a anterior. Felizmente esse foi o caso de A Garota das Cicatrizes de Fogo, segundo romance do autor Ricardo Ragazzo.

Ao contrario de 72 Horas para Morrer, thriller policial com toque sobrenatural, sabemos desde o início que A Garota das Cicatrizes de Fogo é uma obra de urban fantasy, por isso o leitor está preparado para o que está por vir. No entanto não apenas esse detalhe se diferencia, ainda que ambos sejam eletrizantes.

Apesar de não ficar livre de cenas fortes e das descrições incomparáveis de uma morte, nesse caso o livro não pode ser considerado pesado, já que em nada se assemelha com as cenas chocantes vistas anteriormente. Em compensação, a escrita continua viciante, repleta de ironia e humor, intercalando uma narrativa entre Lisa e Falco.

Nesse livro, encontramos um universo inovador em que fica provado não ser necessário o uso de seres comuns para que o leitor se surpreenda com um urban fantasy. Não encontramos vampiros ou lobisomens e sim seres próprios, com características convincentes e que, nesse caso, tratam a relação da vida, da morte e do destino de maneira clara e até certo ponto filosófica.

Mas engana-se quem pensa que esse universo, com tantas características singulares, é o que mais se destaca em A Garota das Cicatrizes de Fogo. Johnny Falco é um personagem marcante e muito bem construído, que se diferencia principalmente por não ficar lamentando o que aconteceu em seu passado, por isso não irrita o leitor. Ou seja, é um personagem que luta para desvendar o mistério envolvendo as pessoas que ama, não se importando com as próprias atitudes desde que elas o ajudem a conquistar seu objetivo.

Assim como Falco, Lisa é uma personagem interessantíssima, afinal, passou longos anos vivendo trancada em seu próprio mundo e quando consegue a liberdade cria uma nova personalidade. Uma nova Lisa. Independente de qual personagem está interpretando, Lisa não é uma garota qualquer.

Vale destacar ainda Sal Salvatore, personagem de grande importância para o desenvolvimento da trama. Amigo de Falco, a relação de Sal com o protagonista muito se assemelha a de Myron Bolitar e Win Lockwood, personagens de Harlan Coben, e assim temos a garantia de ótimas cenas quando ambos estão juntos.

Em uma edição impecável e belíssima, A Garota das Cicatrizes de Fogo talvez só não seja um livro perfeito graças ao destino de algumas das personagens, que são descartadas de maneira precoce. Em contrapartida, o fato de Johnny Falco já estar acostumado a situações sobrenaturais e também ter tido um desfecho em aberto possibilita a escrita de novas aventuras de um personagem inesquecível. Imagine então se o autor unir Falco e Júlio Fontana – protagonista do livro anterior. Seria a certeza de mais uma obra impressionante.

“Sangue e pedaços de cérebro foram espalhados por todos os cantos. A roupa de Débora parecia ter sido banhada por uma lata de tinta rubra. O cheiro de morte espalhava-se com velocidade pelo recinto. O corpo sem cabeça mexia vez ou outra, vítima de espasmos involuntários de um organismo não ciente da própria acefalia. E nada disso era a parte mais bizarra daquele cenário” (pág. 184).

Para adquirir seu exemplar de A Garota das Cicatrizes de Fogo acesse o site da Livraria Saraiva clicando aqui.

9 Comentários

  1. Gabriela Costa e Silva5 de novembro de 2013 07:44

    Eu já estava super curiosa quanto ao livro, e a sua resenha me deixou com mais vontade de ler.
    Tenho que adquirir logo, parece um ótimo livro... na verdade, preciso dos dois livros desse autor! haha

    ResponderExcluir
  2. Para tudo que quando vi o nome do autor, pensei que fosse você! rsrs


    Gostei da premissa do livro, e sua resenha me deixou mais confiante.
    Fato que vampiros e lobisomens já cansaram.


    O título do livro já chama bastante atenção!!


    Beijos,
    www.livrosqueinspiram.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei de "Anjo Caído", pois me amarro no gênero, e gostei também de "1001 Filmes para Ver Antes de Morrer", mas quando vi o preço, desanimei na hora. Achei bem carinho, hein?!?!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  4. Eu li o primeiro romance do autor e gostei muito do jeito que ele escreve ( só o final do livro que não gostei) fiquei curiosa a respeito deste livro, fui convidada para participar de um booktour dele e fiquei bem "tentada" depois da sua resenha! a autor esta de parabéns, sua obras são surpreendentes!

    ResponderExcluir
  5. Que honra, Thaysa kkkk Se existem livros que eu ficaria muito feliz de ter escrito esses livros sem dúvida são os do Ricardo Ragazzo. Por isso recomendo que você leia assim que tiver a oportunidade. São ótimos!


    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. Nardonio, o grande problema nesse caso é que existem vários títulos dessa coleção de "1001", ou seja, se você quiser completar a coleção vai gastar uma boa grana kkkk


    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Já estou com o livro em mãos, parte do Book Tour para o qual você me convidou, Rick, e com muitos elogios sobre o autor alimentando minhas expectativas para ler tanto este título quanto 72 Horas para Morrer.
    É tão bom quando um autor de que gostamos consegue nos agradar não só em seu primeiro livro, como também em seu segundo, terceiro, quarto... Acho que o Ragazzo conseguiu encontrar sua fórmula e tem atraído muita atenção, o que, é claro, acabou me atingindo também, sempre lendo críticas muito positivas sobre seus livros.
    Sua resenha me deixou muito ansiosa pelos dois livros dele que, aliás, estão aqui comigo, prontinhos, esperando para serem lidos. Espero sr encantada também pela escrita do Ragazzo e participar desse grupo de fãs que tanto apreciam seu trabalho. Ele parece fazer jus à fama e merecer tanta apreciação! ;D Não vejo a hora de descobrir!


    Beijos,

    Only The Strong Survive

    ResponderExcluir
  8. Vê, também espero que você goste das obras do Ragazzo, já que não me canso de dizer que ele é o meu autor favorito e claro que é sempre bom encontrar novas pessoas que gostem das suas obras favoritas. Apesar de te conhecer tão bem, eu realmente não sei dizer qual das duas obras você irá gostar, mas claro que em ambos os casos você encontrará uma narrativa rápida, uma história instigante, personagens muito bem estruturados, e muita, muita ação/aventura e mistérios. Se você gostar dessa combinação é certeza de ótimas horas de leitura - pelo menos quero que você pense o mesmo kkkk
    Ah, antes que eu me esqueça, novamente muito obrigado por aceitar participar do Book Tour :D Sua participação é muito importante!


    Beijos,

    ResponderExcluir
  9. Tenho o "72 Horas" aqui em casa, mas ainda não o li. O interessante no autor é que ele conseguiu escrever dois ótimos livros em gêneros diferentes. Já nessa trama em si, o mais legal foi fugir dos seres mais clichês que empanturram os livros de Urban Fantasy. Sem falar nessa questão das personagens, tanto protagonistas, como secundários, serem interessantes. Quero ter esse livro aqui em casa desde já.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir