A adolescência é uma fase inspiradora. São novas descobertas, novos amores e novas conquistas que acabam contribuindo para o surgimento de novas ideias. Essa também é uma fase em que a pessoa busca formas de se expressar, muitas vezes através das artes, independente de qual seja a escolhida. No caso de Naiane Aline R. C. a literatura foi a escolhida e disso surgiu o livro O Poder Visor, publicado de forma parcialmente independente e lançado oficialmente durante a última edição da Bienal do Livro da Bahia. Mesmo tão jovem, a escritora baiana tem muito que falar e por isso estamos De Olho Nela:
Foto: Reprodução/Facebook
Over Shock - Naiane, como já é costume, gostaria de agradecê-la por se disponibilizar a participar dessa entrevista, realizada com o intuito de mostrar um pouco sobre quem é a escritora Naiane Aline R. C. Sendo assim, para começar, gostaria que você contasse um pouco sobre você, como pessoa e principalmente como escritora.
Naiane Aline R. C. - Olá, Ricardo! Eu que agradeço primeiramente por todo apoio que vem me dando. Bem, não tenho muito para falar sobre mim, rs. Enfim, nasci e moro na capital baiana e tenho 18 anos. Entrei para o curso de jornalismo ainda esse ano e acho que a profissão combina muito com minha própria personalidade: sempre querendo saber de tudo e contar o que sei para os outros, rs. Sou meio calada e ando sempre (sempre mesmo!) com um livro na mão e fones de ouvido tocando Legião Urbana/Cazuza. Entre uma subida de tom na voz do Renato Russo e um solo de guitarra especialmente legal das músicas do Cazuza é que sempre tenho alguma idéia para escrever... Por mais estranho que pareça!

Over Shock - O livro “O Poder Visor” é a sua primeiramente publicação e aconteceu, até certo ponto, de forma precoce. Em que momento você decidiu que publicaria esse livro? Durante a escrita você já imaginava isso acontecendo?
Naiane - Para falar bem a verdade, eu nunca pensei em publicá-lo. Sempre escrevi por hobbie, e comecei muito cedo... Com certeza não imaginava que um dia veria O Poder Visor todo bonitinho impresso, e nas mãos da pessoa que primeiro leu a história, enquanto ainda estava no processo de ser escrita.

Over Shock - Como você chegou a citar em uma conversa anterior, a publicação aconteceu de forma parcialmente independente, por uma editora com reconhecimento apenas regional. Na sua visão, quais são as vantagens e desvantagens desse tipo de publicação?
Naiane - Você tem que ter coragem ou, como no meu caso, de alguém que tenha a coragem por você. Não é fácil, principalmente se você não tem apoio financeiro que banque ao menos metade do valor. Além disso, há todo um problema de divulgação e etc. Porém, a coisa é bem mais fácil, e, à depender da editora, pode até valer mais a pena. No meu caso, financeiramente era mais acessível publicar de forma independente, principalmente por eu ser menor de idade (na época) e algumas editoras não concordarem em fazer acordo com menores.

Over Shock - Qual foi a inspiração para a escrita de “O Poder Visor”? Como foi o processo de escrita e qual sua intenção ao contar essa história?
Naiane - Pode parecer estranho, mas, apesar de todas as influências que eu poderia ter, eu escrevi a história especificamente para uma amiga, pensando no que ela gostaria ou não de ler. Porém, é até visível que me inspirei em As Crônicas de Nárnia e vários outros livros de fantasia infantis... Quanto ao processo criativo, digamos que ele tenha sido um pouco irregular. Reescrevi a história diversas vezes num período de 7 meses. E confesso que, mesmo depois de uns 3 anos, ainda dei umas pinceladas em alguns trechos do livro antes dele ser levado para a editora, rs. 

Ed. Vento Leste - 2013
Over Shock - O ponto mais interessante do livro é como você narra a história, na visão de um narrador onisciente, mas com características de um narrador onipresente. O que te levou a contar a história dessa forma?
Naiane - Essa nem era a forma original de narrativa, na primeira versão de O Poder Visor, quando ele ainda não tinha sequer esse título. Esse modo de narrar foi meio que surgindo entre a minha 2ª e 3ª vez reescrevendo a história... E posso dizer que fui muito influenciada pela narrativa que adoro tanto do livro A Menina que Roubava Livros. Até reli mais algumas vezes a obra, enquanto reescrevia o meu próprio livro!

Over Shock - Dá para notar que a história se encerrou, mas a última frase deixa um gancho para uma possível continuação. Você pensa em criar novas aventuras para esse mundo?
Naiane - Essa era a intenção! Na verdade, O Poder Visor já é o segundo livro ambientado no Mundo sem Fim. Porém, eu não tenho mais 14 anos e desejo criar mundos mais ricos, mais mágicos. Meus outros projetos só estão esperando esse amadurecimento para que sejam continuados, apesar de alguns já estarem para lá das 100 páginas...

Over Shock - Até o momento, você faria alguma alteração para uma possível segunda edição do livro?
Naiane - Não. E também não acredito que conseguiria! Como eu disse, estou com sede de “crescer” o mundo que inicialmente ambientou minhas aventuras. Mas gosto de O Poder Visor do jeito que ele está. Alterações são improváveis, por agora.

Over Shock - Todos sabem as dificuldades encontradas pelos escritores, e os artistas de um modo geral, mas no seu caso quais foram as principais dificuldades encontradas desde a escrita até o momento de entregar seu livro para os primeiros leitores?
Naiane - Creio que escrever não foi tão difícil quanto entregar meu livro para ser julgado por alguém... Aquele friozinho na barriga quando alguém diz que leu meu livro até hoje não passou! Mas também houve as dificuldades no próprio processo de publicação e o livro não teria saído se não fosse pelo empenho de meus pais e do Colégio da Polícia Militar, colégio onde estudei a vida toda e que apoio a publicação.

Over Shock - Com sua experiência, também como blogueira, como você vê o atual mercado editorial brasileiro?
Naiane - Ao mesmo tempo em que a porta está se alargando, ela também está se tornando mais seleta. Talvez eu esteja sendo um pouco pessimista ao dizer isso, mas acredito que a maior facilidade na publicação de autores nacionais não quer dizer que o processo todo se tornou mais fácil, nem que o autor conseguirá conquistar um espaço entre os leitores. É difícil, apesar de já ter sido mais. O legal da mudança no atual cenário editorial brasileiro é que o número de leitores lendo algo de alguém de seu próprio país está cada vez maior! Posso até arriscar e dizer que os blogs literários são os principais provocadores dessa mudança. O preconceito com nossa própria produção está diminuindo visivelmente... Isso é muito legal!

Over Shock - Jogo Rápido:
Poder Visor: Fantasia infanto-juvenil que não era para ter lição de moral, mas já me disseram que tem de monte... (haha)
Carina: Junção de partes de várias colegas de classe que já tive.
Influências: Crônicas de Nárnia
Publicação Independente: Difícil, mas muito possível.
Viver de literatura no Brasil: Uma luta gratificante!
Futuro como Escritora: Entre dragões e romances num mundo medieval, tema dos projetos que estou desenvolvendo por agora. Mas, psiiu, é segredo. =P
Blogs literários: Maneira gostosa de tornar mais próximo o leitor das suas editoras e escritores favoritos.

Over Shock - Muito obrigado por se disponibilizar a participar dessa entrevista, Naiane. Espero que tenha gostado e que sua carreira, que está apenas começando, seja um sucesso daqui pra frente.
Para encerrar, deixo espaço aberto para que você mande uma mensagem para os leitores ou para todos que, de alguma forma, te ajudaram na realização desse sonho.
Naiane - Eu que agradeço! Não só a você, mas a todos que sempre foram tão carinhosos comigo e trataram de acreditar no meu futuro como escritor. Principalmente meus pais. Não esquecerei o nome de ninguém, e espero um dia poder retribuir tamanha crença em uma jovem que apenas está começando a engatilhar no mundo das palavras escritas. Muito obrigada!

5 Comentários

  1. Achei a entrevista um máximo. Legal ver uma escritora tão jovem e promissora, dar seus primeiros passos nesse mercado editorial tão concorrido. A Naiane também se mostrou bem madura ao resolver dar uma pausa em "O Poder Visor", e falar em projetos futuros.
    Desejo bastante sucesso!!!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  2. Ela parece ser bem simpática. Adorei conhecê-la e saber desta obra tão encantadora. Obrigada pela entrevista nos deu uma oportunidade de conhecer mais um pouco sua história e sua obra. Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. Muito simpática a autora!
    Ultimamente os autores nacionais estão seguindo mais o estilo sobrenatural e fantasia.

    Abç!

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a entrevista! Completíssima!
    Bem novinha a autora, e já com uma bagagem e tanto!
    Sucesso a autora e ao livro...

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista! Já conhecia o livro pela capa, mas não sabia do que tratava e agora conhecendo a história da autora, a garra para escrever e publicar, me deixou com vontade de conhecer a obra.

    ResponderExcluir