A Once Upon a Time Tale: Despertar, Odette Beane, tradução de Júlio Andrade Filho, 1ª edição, São Paulo-SP: Planeta, 2013, 304 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Por ter sido abandonada ainda bebê, Emma Swan aprendeu a se virar sozinha, apesar de sua vida nunca ter sido fácil. Mas as coisas pioram quando seu filho Henry, que ela abandonou dez anos atrás, a encontra e diz que a mãe nasceu em um mundo diferente e que é fruto do relacionamento entre Branca de Neve e o Príncipe Encantado.

Apesar de não acreditar nas palavras de Henry, que tem certeza de que a mãe é a única capaz de quebrar uma maldição que afeta os personagens dos contos de fadas, Emma vai até a cidade de Storybrooke. Cercada pelos mistérios da pequena cidade, e disposta a proteger seu filho da mãe adotiva, Emma continua na cidade sem imaginar que lidará com muitas reviravoltas envolvendo os personagens dos contos de fadas.

“Emma não sabia exatamente como agir em relação a tudo aquilo. Não tinha coragem de dizer a Mary Margaret o que era óbvio. Segurando o pulso de John Doe, à espera de batimento, Graham provavelmente estava pensando a mesma coisa. Estaria ela louca ou Mary Margaret estava mesmo beijando John Doe?” (pág. 77).

A Once Upon a Time Tale: Despertar é um livro baseado na série norte-americana Once Upon a Time, transmitida desde 2011 pela ABC e que é um grande sucesso mundial, conquistando ótimos níveis de audiência. A série, dos mesmos criadores de Lost, surgiu ao mesmo tempo em que houve o lançamento de vários livros e filmes que recriaram os contos de fadas, também por isso a história se tornou especial e garantiu a escrita de um livro.

O receio em relação a um livro baseado em uma série de TV é sempre muito grande, afinal nem todos os casos resultaram em obras agradáveis, no entanto o livro escrito por Odette Beane possui um ponto muito positivo: ao contrário da série, ele não intercala de forma excessiva entre passado e presente para colocar o leitor por dentro do mundo real e o encantado.

Para evitar uma grande confusão por parte dos leitores que não conhecem o universo de Once Upon a Time, a autora diminuiu as partes dos personagens dos contos de fadas e, quando necessário, personagens do próprio mundo real contaram as demais histórias, tornando essa divisão muito mais agradável. O problema é que ainda assim é possível encontrar pontos soltos e sem explicação, que podem passar despercebidos por aqueles que conhecem a história apenas pelas páginas do livro, mas que não poderiam existir.

Apesar desse grande problema, o principal ponto negativo, principalmente se comparada à série, é a falta de carisma dos personagens, que dificilmente cativam o leitor. Enquanto Henry aparenta ser muito mais maduro do que um garoto de apenas dez anos, sua mãe adotiva Regina, que o espectador ama odiar, e Rumplestiltskin, um dos melhores personagens dos últimos anos, não são tão complexos. Na verdade nenhum personagem, com exceção de Emma, conquista como deveria acontecer, independente de ser a Chapeuzinho Vermelho, o Grilo Falante ou qualquer outro.

Não dá para negar que para quem não conhece a série a história de A Once Upon a Time Tale: Despertar é muito original, mostrando personagens de contos de fadas vivendo em um mundo atual e sem conhecer suas próprias origens. São várias surpresas, romances e o encanto natural dos contos de fadas que fazem desse livro uma ótima forma de relembrar os primeiros 22 episódios da série. Uma série que evolui com o passar do tempo, assim como os próximos livros certamente também irão evoluir. Pelo menos é o que os fãs esperam!

“Em uma estranha reviravolta do destino, fora necessário tudo aquilo – o tempo sozinha como uma bandida, a amizade com Chapeuzinho Vermelho e os anões, e seu amor pelo Príncipe Encantado -, para que ela realmente descobrisse a si mesma. Para que se mostrasse capaz de enfrentar a Rainha. Engraçado como as coisas tendiam a dar certo...” (pág. 277).

Para adquirir seu exemplar de A Once Upon a Time Tale: Despertar, acesse o site da Livraria Saraiva clicando aqui.

10 Comentários

  1. Oi, Ricardo!!
    Eu tenho mil ressalvas quanto a livros adaptados de séries, enquanto a recíproca é verdadeira.
    E a falta de carisma de personagens na leitura é quase imperdoável rs... Afinal, eles são a alma do que estamos lendo.
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  2. Já assisti a série, mas o livro mesmo ainda não li. Espero que ele seja bem bem caprichado do que a série e com mais detalhes. Não que a série de tv seja chata, mas as vezes me dá impressão que falta algo pra ser mais emocionante. Vou tentar ler este livro. quem sabe eu goste mais dele? Obrigada pela resenha. beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ainda não assistir nenhum episódio da série Once Upon a time.
    Conheci por algum amigos, e acho super interessante. quero muito assistir.
    Conheci o livro, e gostaria muito de ler. E isso antes de assistir a série... sei lá, apesar de ser baseada na série, gostaria de ler este livro antes.
    kk

    Muito boa resenha!

    Jônatas Amaral
    alma-critica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Fiquei bastante interessada em ler esse livro até porque sou fã da série, embora deva confessar o receio. Gostei dos pontos negativos e positivos que citou, acho q a obra não beira ao ruim e nem ao excepcional, mas pelo que você acentuou parece se aproximar bem com a série...

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O receio deve ser natural, Mila, mas como eu disse na resenha, o livro serve mais como uma forma dos fãs se lembrarem dos episódios. Achei o enredo bem próximo, mas tem esse problema com os personagens. Leia sem expectativas que você pode gostar :)

      Beijos,

      Excluir
  5. Apesar de gostar bastante desses "remakes" de contos infantis, ainda não assisti a série, e nem li o livro...
    Mas me interesso muito, mas fiquei com um certo medo de não ser lá essas coisas.

    ResponderExcluir
  6. Não acompanho essa série.
    Essa nova roupagem que derem aos clássicos infantis não me agradaram, se bem que nem as versões que conhecemos são realmente verdadeiras...
    Abç!

    ResponderExcluir
  7. Ainda não assisti a série, não por ela não me interessar, mas pela minha lista de séries está super atrasada. Vi um episódio perdido de alguma temporada, e fiquei boiando. Rsrsrs Mas gostei do que vi. Legal ver que escreveram um livro baseado na série, mas é uma pena que aconteceram esses probleminhas com as personagens e a história. Mesmo assim, pretendo ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro a série, portanto preciso ler ao livro. Com certeza seria confuso se ficasse indo e vindo no tempo, então gostei do jeito que a autora encontrou de corrigir este que poderia ser um futuro erro. Mas a falta de carisma realmente é um problema, gosto do muito do Henry da série :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emanuel, acredito que depois da Emma o Henry é o personagem mais carismático, por isso o meu problema é realmente com a Regina e o Rumplestiltskin :( De qualquer forma, espero que você tenha a oportunidade de ler e que goste da leitura.

      Abraços,

      Excluir