Um Gato de Rua Chamado Bob, James Bowen, tradução de Ronaldo Luís da Silva, 1ª edição, Ribeirão Preto-SP: Novo Conceito, 2013, 240 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Apesar de tão usada, a frase que diz que “o cão é o melhor amigo do homem” é uma inverdade já que inúmeros são os casos em que outros animais também se tornaram importantes na vida de alguém. Os gatos, por exemplos, são animais cativantes e encantam por suas travessuras e pela simplicidade com que dão atenção, mas eles também podem salvar vidas.

Um dos mais conhecidos casos em que isso aconteceu é o do músico James Bowen, um morador de rua que encontrou um gato ferido na mesma época em que lutava contra a dependência da heroína. Bowen não precisava da responsabilidade de cuidar de um animal, mas acabou sentindo a necessidade de cuidar daquele gato e também de ter um amigo que pudesse lhe dar forças para superar as dificuldades. Acabou, então, adotando o pequeno gato e lhe deu o nome de Bob. A partir desse momento, a vida dos dois mudou para sempre.

“Com ele em meu ombro ou caminhando diante de mim, eu fizera com que muitas cabeças se virassem para olhar em todos os lugares. Sozinho, eu era invisível novamente. Naquela época, já éramos conhecidos o suficiente pelos habitantes locais para que algumas pessoas expressassem preocupação” (pág. 82).
Best-seller em vários países do mundo, Um Gato de Rua Chamado Bob é um grande exemplo de que não é preciso muito para ter sua vida mudada e com isso não me refiro apenas a James Bowen, mas também ao próprio leitor. Após esse livro a visão do leitor em relação às pessoas consideradas invisíveis não será a mesma, afinal, existem muitas reflexões que acompanham a leitura enquanto nos deparamos com histórias inspiradoras vividas por essa dupla.

Mesmo não sendo um escritor, Bowen consegue manter um ritmo bem interessante em sua obra, que se diferencia e muito de outros livros com traços biográficos. Por não se focar apenas em sua relação com Bob, mas também se aproveitar dos momentos mais difíceis de sua vida pré-Bob, o autor tira o ar formal de uma biografia e consegue assim colocar o leitor dentro do livro e consequentemente de suas aventuras pelas ruas de Londres.

Mas dá para dizer também que o responsável por isso é o próprio gato, que mesmo apresentado apenas pelas palavras do autor, se mostra diferente de outros animais da espécie e muito, muito inteligente. Por todas suas atitudes, Bob cativa o leitor com a mesma intensidade que suas expressões refletem o que está sentindo e desejando em determinados momentos. Além disso, ele protagoniza situações que poderíamos facilmente duvidar e que, mais do que isso, são dignas de cinema.

Ainda que seja tão diferente e facilmente conquiste por isso, o que torna Bob tão especial não é sua simpatia e muito menos sua inteligência, já que isso pode ser visto como consequência de sua própria personalidade. Na verdade, Bob é especial por ter mudado a vida de James Bowen, transformando um homem invisível perante a sociedade em uma figura reconhecida mundialmente e que pode ser visto como um grande exemplo de que nem tudo está perdido.

Não dá para negar que Um Gato de Rua Chamado Bob, tão bem recebido por leitores do mundo inteiro, é um livro especial e que certamente será eternizado no coração de todos. Nesse comovente livro, percebemos que as pessoas como James Bowen possuem muitas histórias para contar - e muito sofrimento também.

Com tudo o que ele apresenta, um sorriso no rosto é quase inevitável, principalmente quando percebemos que um gato, também visto como um filho, pode ser essencial na vida de alguém que tinha tudo para ser esquecido, mas que grita na esperança de que alguém escute a sua voz. Nesse caso um gato escutou e felizmente o salvou, no fim também se salvando.

“Bob não precisou de medicamentos para passar a noite. Ele só precisava de seu companheiro: eu. E, naquele momento, decidi que era tudo de que eu precisava também. Tudo de que eu precisava era Bob. Não apenas naquele dia, mas durante todo o tempo pelo qual eu tivesse o privilégio de tê-lo em minha vida” (pág. 228).

12 Comentários

  1. Noossa parece ser um livro bem interessante, parece ser um livro emocionante!!
    Estou super curiosa para lê-lo!!

    Beijos!

    http://meudiariojk.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você demorou para ler, mas tinha certeza de que gostaria da leitura. O livro é muito emocionante, me fez pensar bem, justamente, sobre as pessoas que tantas vezes passam invisíveis a nós.
    James ofereceu um novo olhar sobre a vida nas ruas e acho que nada me fez mais feliz nesse livro do que acompanhar sua reerguida aos poucos. E é claro que o Bob foi um grande fator para tudo isso dar certo, as partes mais engraçadas o envolviam. rsrs
    Acho que é uma leitura espetacular, a narrativa do James é muito legal e não é tediosa em momento algum, ele realmente tem muitas histórias para contar. rsrs
    Vê se lê a continuação logo, porque ela é ainda mais legal, com partes mais engraçadas e mais emocionantes! Adorei a resenha, você soube passar com sobriedade o que eu, na minha ansiedade de falar sobre o livro, devo ter deixado se perder no meio da minha resenha enooooorme quando eu a publiquei. kkkkkkkkk
    Parabéns, Rick! ;D

    Beijos,

    Only The Strong Survive

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ricardo.

    De principio eu pensei "não vou ler este livro" mas depois fiquei aqui pensando que devo ler pará descobrir o que ele traz e com o que contribui para as nossas vidas e porque marca o coração de seus leitores.
    Fiquei curiosa. Não sou fã de gatos por isso pensei em não ler. rs coisas bobas.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, a princípio estava com receio desse livro, apesar de saber que a história tinha tudo para ser emocionante, isso porque também não sou fã de livros com animais. Por isso, pela surpresa que foi a leitura, recomendo que você faça o mesmo. Acho que você pode gostar e desejar o próximo, assim como eu rsrs

      Beijos,

      Excluir
    2. Então acredito que seja bom tentar. rs
      Quem sabe não passo a gostar.

      Beiijos

      Excluir
  4. Que linda a história!
    Eu não sabia que o escritor estava fazendo um tipo de biografia.
    Fiquei muito emocionada já com a resenha, imagina lendo o livro!
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  5. Tenho vontade em ler esse livro, porque até agora, só li histórias com animais, com protagonistas cães, e acho que esse seria uma leitura bem diferente. Espero ler o mais breve possível, porque a NC já lançou a continuação. Boa resenha!

    ResponderExcluir
  6. Adoro livros com animais, adoro gatos e leria esse livro numa boa. Mas, para ser sincera, se ele estivesse disponível em uma livraria eu não comprava, apenas não vejo nada de muito interessante a ponto de gastar meu dinheiro com ele. Se me emprestassem até leria. Mas adorei a resenha, até me deu vontade de gastar dinheiro no livro, rsrsrs, sério.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Ricardo, esta é mais uma das histórias reais e lindas que a NC publica! Adoro histórias assim, de superação! E lançaram a continuação, né? Já estou com ela em mãos e pretendo lê-la em breve!

    Beijão,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu simplesmente amei esse livro. Tbm li e fiz resenha dele. Como uma apaixonada por gatos, eu não poderia não me emocionar com esse livro lindo!!

    http://www.lostgirlygirl.com/

    bjos

    ResponderExcluir
  9. Confesso que assim que a Novo Conceito lançou esse livro, não me interessei muito, justamente por saber que era uma auto-biografia. Em contrapartida, vi que ele tem um ritmo mais interessante e que foge um pouco da biografia. Gostei de saber disso. Já o vejo com outros olhos. Quem sabe um dia o lerei, né?!?!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Nunca fui amante de gatos, nem livros e nem filmes sobre gatos kkk , mas esse livro em específico, eu conheci pelas mãos de uma amiga e acabei gostando da premissa e tudo mais. Saber que ele de certa forma era biográfico, e tudo aquilo me cativou mesmo antes de ler o livro.
    Acabou se tornando um livro que almejo muito ler, assim como o "O Amor mora ao lado" (que também tem gato na história).
    Vejo como uma obra sensível e que irá marcar de alguma forma minha existência.
    Um livro interessante e pela resenha pude ter ainda mais essa certeza.
    Acho que vou inventar algum amigo literário de carnaval só para ver se eu peço esse livro para alguém kkkkkkkkk

    Jônatas Amaral
    alma-critica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir