6º Alvo, James Patterson e Maxine Paetro, tradução de Marcelo Mendes, 1ª edição, São Paulo-SP:
Arqueiro, 2012, 208 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

É sábado e Lindsay Boxer está de folga, o que não costuma acontecer com uma tenente da polícia de São Francisco. Mas quando menos espera, Boxer é convocada para um caso em que um homem abriu fogo contra uma balsa lotada e acabou assassinando três pessoas e ferindo Claire Washburn, melhor amiga de Boxer, e o filho da médica-legista.

Boxer passa a investigar o caso ao lado do inspetor Richard Conklin e não demora muito para que o próprio assassino se entregue. Mas logo quando tem inicio o julgamento, um novo caso ganha a atenção da tenente, que se envolve na investigação do desaparecimento de Madison Tyler, filha de um importante jornalista. Rapidamente Boxer descobre que outras crianças também estão desaparecidas e ela passa a correr contra o tempo já que sabe que as primeiras horas são fundamentais se quer encontrá-las vivas.

“A verdade era que eu ainda acordava suando no meio da noite sempre que sonhava com aquela noite terrível na Larkin Street. Eu me lembrava do impacto daquelas balas no meu corpo, da sensação de impotência, do medo de morrer” (pág. 18).
As estatísticas e os noticiários mostram que o número de sequestros de crianças no mundo cresce consideravelmente a cada dia. Diversas são as causas e os interesses dos sequestradores, mas independente do que está por trás dos sequestros, mesmo quando estão em histórias ficcionais isso acaba mexendo com nosso interior, como acontece em 6º Alvo.

James Patterson é um dos autores mais versáteis do mundo, no entanto a série Clube das Mulheres Contra o Crime está longe de ser uma história em que o autor mexe com os sentimentos do leitor. Não dá para dizer, portanto, que o sequestro de Madison Tyler e de outras crianças causa algo diferente do que revolta. Mesmo sendo algo natural quando nos deparamos com a crueldade existente no mundo, ainda é um caso que chama a atenção.

No entanto, como mais uma vez temos algo que envolve diretamente as integrantes do Clube, os assassinatos na balsa e consequentemente o desfecho do caso acaba sendo explorado mais detalhadamente por Patterson e a coautora Maxine Paetro. Além disso, mais uma vez um processo jurídico tem grande destaque, o que se intensificou desde que Yuki Castellano entrou para esse grupo de amigas.

O problema está no fato de ter lido 6º Alvo imediatamente após o livro anterior, 5º Cavaleiro. Não que o livro tenha sido ruim por isso, mas é possível perceber falhas na estrutura do enredo, o que fica evidente com duas leituras sequenciais. Além disso, características das personagens se diferem entre um livro e outro, assim como existem elementos comuns em casos distintos, o que ajudam as personagens a solucionarem um caso, mostrando a falta de cuidado por parte dos autores.

Ainda pela leitura de dois livros seguidos, é normal certo incomodo com casos paralelos aos principais e que nem sempre estão interligados ou situações que mostram o dia-a-dia de Boxer e suas amigas, mas que não levam a nada. Aliás, mesmo sendo uma personagem excepcional, pela primeira vez Boxer acaba irritando, principalmente por determinadas atitudes em sua vida pessoal.

Mas como dito anteriormente, nem mesmo as falhas tiram o potencial de 6º Alvo, sexto livro de uma das séries mais especiais escritas por James Patterson. Isso porque além do leitor ficar na expectativa por conhecer o alvo que dá título ao livro e que é revelado apenas nos últimos capítulos, ainda nos faz pensar sobre as falhas jurídicas que podem prejudicar a vida de uma pessoa ou ainda assustar toda uma população. Dessa forma, Patterson e Paetro mostram todas as possibilidades de se fazer justiça em mais um livro em que as páginas viram sozinhas.

“Com a cabeça pousada no travesseiro, as palmas das mãos viradas para cima, deixei que Joe me levasse à loucura enquanto me beijava por toda parte, roçando os dedos nos lugares certos, apertando seu corpo rígido contra o meu.No entanto, apesar de todo o calor, algo mais se passava na minha cabeça. Eu relutava contra os sentimentos que nutria por Joe, mas não sabia por quê. E dali alguns segundos veio a resposta: Não quero fazer isto” (pág. 63).

19 Comentários

  1. Olá Ricardo,

    A primeira resenha desse livro foi minha, apesar dos detalhes gostei bastante e quero ler os anteriores, gosto demais da escrita do autor..parabéns pela sua resenha...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ricardo.

    Como já citei algumas vezes não sou muito fã deste gênero, mas sou do tipo de leitor que tentar sempre ler de tufo. hahaha mas esta série eu ainda não sei, caso tenha oportunidade eu posso até ler, mas depois de sua resenha sei não. rs Posso me confundir muito, mas pretendo tentar. Sou teimosa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esta série é muito boa, pena que não li muito dela.
    Bjs, ROse.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ricardo não li essa série ainda, mas ela parece ser super bacana!!! Amei essa capa e achei interessante o enredo! Ainda não li nada do James! Nossa é uma pena que ler os livros em sequência estragou um pouco a leitura do 6º alvo!! Fiquei curiosa pra ler o livro!!
    Beijos!

    http://meudiariojk.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Como disse no meu comentário da obra anterior, quero conhecer mais sobre a obra do autor. E mais uma vez elogio o que gostei na resenha passado sua imparcialidade e o levantamento de pontos que me levantam a curiosidade.
    Gostei da premissa de ambos os livros, acho que da série em si. Vou procurar saber mais.

    Parabéns!

    Jônatas Amaral
    alma-critica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Desses autor premiado eu só li Escola, os piores anos da mnha vida e tenho aqui Um Certo Verão. Todos eles do gênero que não é o que consagrou o autor, mas sou assim mesmo, do contra.
    Para ser sincera, nem gosto desses gênero, obras desse tipo só leio se forem nacionais, principalmente do Marcos Rey, tenho esse carinho e admiração intensos pelo autor!

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. A única coisa que tenho a dizer é que PRECISO ler James Patterson! Sério, a cada resenha que leio dele a vontade aumenta, e a vergonha é que eu tenho livro dele na estante e ainda não li!
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se já disse isso para você, Soraya, mas concordo com o que você disse: você PRECISA ler James Patterson. É bem verdade que é um autor muito criticado, mas ainda assim gosto muito do trabalho dele :D

      Beijos,

      Excluir
  8. Ainda vou ler essa série, que parece ser a melhor do Patterson. Eu ia comprar "9º Julgamento" esse mês, mas mudei de ideia. Quero ler a série em sequência, começando pelo "4 de Julho" - mesmo não sendo o primeiro, mas é o que há. Enfim, gostei da resenha :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joshua, eu acho que essa é a melhor série, mesmo gostando muito do Alex Cross. Mas, apesar de não precisar fazer a leitura na ordem certa, recomendo que você comece pelo primeiro livro da série, algo que eu não fiz. Quando você tiver a oportunidade você entenderá o motivo disso.

      Abraços,

      Excluir
  9. A capa é muito bonita... Mas como eu já havia dito em outras ocasiões, a série não me agrada. É bastante difícil para mim gostar desse gênero de livro.

    ResponderExcluir
  10. A capa é muito bonita... Mas como eu já havia dito em outras ocasiões, essa série não me agrada. Para mim é bastante difícil de gostar desse gênero de livro.

    ResponderExcluir
  11. Até agora eu só li dois livros (completamente diferentes) do James Patterson: "Diário de Suzanna para Nicolas", que eu amei, e "Bruxos e Bruxas", que não foi uma boa experiência.
    Já li um livro desse estilo, e não gostei muito... Mas vai que eu goste do livro '-' Acho que assim que minha lista diminuir pelo menos um pouquinho, eu vou ler essa série e tirar minhas próprias conclusões! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana, costumo dizer que "Bruxos e Bruxas" não é um bom livro para formar uma opinião sobre o trabalho do Patterson, mas essa série, se você gostar do gênero, pode te dar a mesma opinião que "O Diário de Suzanna para Nicolas", que de fato é perfeito. É uma série extremamente estruturada, mas acho interessante. Espero que tenha a mesma opinião :D

      Obrigado por seu comentário! Beijos,

      Excluir
  12. Por favor, alguém sabe me dizer quais são os primeiros livros desta série ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Simone. Os primeiros livros da série são: 1ª a Morrer, 2ª Chance, 3º Grau (lançados pela editora Rocco), 4 de Julho e 5º Cavaleiro (lançados pela editora Arqueiro). Além disso, a série tem sequência com os livros 7º Céu, 8ª Confissão e 9º Julgamento (também lançados pela Arqueiro). Os outros quatro livros ainda não foram lançados no Brasil.

      Espero ter ajudado :)

      Excluir
  13. Nunca li nada do James, todo mundo fala dos livros dele, mais sei lá é algo que não me atrai mesmo sendo o gênero que mais gosto, e essa série especialmente do Clube das Mulheres é uma que não tenho vontade de ler tão cedo, infelizmente.

    ResponderExcluir
  14. Livros do James são simplesmente perfeitos. Eu amo quando anunciam que vão traduzir mais livros deles no Brasil. São livros que não conseguem te decepcionar.

    ResponderExcluir
  15. Acho que, quando o próprio James Patterson resolve escrever, ou no mínimo, ficar mais "ativo" nas parcerias dos livros, as coisas tendem a funcionar mais. Essa é uma série que, mesmo com essas pequenas falhas, as tramas continuam envolventes. Geralmente quando rolam essas séries em que os volumes são independentes, é sempre melhor não lê-los seguidos. É bom sempre intercalar com outros autores. Enfim, pretendo ler essa série em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir