Ah, o Verão!, Fernanda Belém, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ:
Valentina, 2014, 256 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Adolescentes são todos iguais e claro que isso significa que, após longos meses de estudos, quando as férias chegam, eles não querem mais nada que não seja estar ao lado dos amigos. Independente do programa, um adolescente não quer ficar com os pais quando pode se divertir de outra forma. Com Camila não poderia ser diferente.

Mila tinha a intenção de aproveitar as festas, clubes e praias ao lado de suas amigas e tentar assim se aproximar de Rafael, o garoto que passou os últimos doze meses em seus sonhos. Ela só não contava que sua mãe a obrigaria a viajar para Búzios, onde ficaria longe de Rafael e teria que conviver com Juliana, que era exatamente o oposto de suas melhores amigas. Para Mila, essas férias tinham tudo para serem as piores de sua vida.

Já que não tinha outra escolha, ela chega ao paraíso que é Búzios e rapidamente percebe que o clima encantador da cidade poderia sim reservar boas surpresas. Ao lado de novos e divertidos amigos, Mila resolve aproveitar o máximo o que a cidade poderia proporcionar e dessa forma acaba passando pela experiência de um amor de verão. Um amor passageiro, mas que fará com que esse verão se torne inesquecível.

“Alguma coisa estava rolando entre a gente. Não dava para descrever muito bem o que acontecia quando estávamos perto um dos outro. Era como se existisse alguma química muito forte, tornando a atração irresistível” (pág. 80).
Um livro tipicamente adolescente é de longe a melhor definição para Ah, o Verão!, já que o primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor mostra de forma detalhada e realista não apenas como costumam ser as férias, mas também o que se passa na cabeça desses jovens. O que não falta no livro de Fernanda Belém são beijos, paixonites, diversão e muitos dramas e micos em um cenário para ninguém colocar defeito.

Com isso, nada mais natural do que encontrar personagens que conseguem ser irritantes sem muito esforço. Extremamente chata e birrenta, características presentes em vários adolescentes, Mila ainda encontrará muitos desafetos e causará ódios nos leitores. Isso porque se personagens adolescentes já conseguem ser chatas, ela extrapola os limites e conquista o mínimo da simpatia apenas na parte final da obra, quando proporciona cenas agradáveis e revela sua feliz evolução ao longo do livro.

Essa evolução é explicada por Mila ser uma garota 8 ou 80 e também uma personagem que revela a instabilidade comum da personalidade de um adolescente. Felizmente, com o crescimento de sua protagonista, Fernanda Belém muda também os personagens secundários, resultando em relações mais estáveis e sem brigas bobas.

Mas a clara evolução da personagem não significa também que o enredo se tornará mais interessante com o passar dos capítulos, já que ao menos nesse caso o início é muito mais animador. Isso porque ficamos na expectativa de saber o que Mila ainda irá aprontar em suas férias, mas com o tempo ela passa a se preocupar mais com o fim do verão e se esquece de que é preciso aproveitar o aqui e o agora.

Apesar de ser necessária certa paciência com Mila, não deixa de ser divertido acompanhar suas férias, porque mesmo em um curto espaço de tempo é possível se deparar com uma encantadora história de amor. O interessante é que a linguagem simples, acompanhada de diálogos diretos, proporciona uma leitura tão rápida quanto as férias, que fazem leitores e personagens suspirarem por essa estação que representa tão bem o amor - por isso se torna uma boa experiência para quem busca leituras leves ou aprecia o gênero.

Em uma edição belíssima preparada cuidadosamente e com o espírito adolescente e cativante da escrita de Fernanda, que escreve o que os adolescentes querem ler, Ah, o Verão! causará o sentimento nostálgico em muitos adultos que um dia também viveram um amor de verão. Esses leitores não se esquecem dos bons momentos que são fundamentais para transformar uma pessoa e fazê-la compreender, mesmo que passageiramente, as mudanças que o amor é capaz de fazer por nós. Isso vai além de uma estação do ano, já que o amor não tem prazo de validade e está sempre presente ao nosso lado.

“Tenho que ficar alegre pelo que vivi e não triste pelo que vou perder. Sempre perdemos coisas e pessoas pelo caminho, mas não devemos parar de ter experiências por puro medo de sofrer. Hoje entendo que a jornada é mais importante que a partida e a chegada” (pág. 166).

10 Comentários

  1. Fiquei interessada no livro.. Parece ser bem leve!!!

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oi
    no momento esse livro não me agrada tanto, estou numa onda de romance históricos, deixando os livros mais adolescentes de lado. Acho que iria acabar me irritando mto pelo o que você falou da personagem, uma típica adolescente com várias frescuras, que fica preocupada com coisas lá para frente e não aproveita as férias - que deveria ser o foco do livro... mas quem sabe em outro momento ^^ Gostei da sua opinião sincera, mostrando o que lhe agradou e o que leh desagradou no livro ;)
    tem postagem nova no meu blog
    espero sua visita
    bjs

    -TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Juliana.
      A exemplo de outros livros do gênero, acho que "Ah, o Verão!" é uma ótima escolha para aqueles momentos que precisamos ler algo mais leve. Quando isso acontecer, tenho certeza que será um ótimo momento para escolher, apesar de ser necessária paciência, como já ressaltei na resenha.

      Beijos,

      Excluir
  3. Ah, é sempre bom ler um livro de linguagem simples. E esse parece ser bem divertido, ótimo pra passar o tempo. Acho que essa série deve ser muito legal, sem falar na arte da capa né? A Editora Valentina sempre capricha ^^
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Não gosto tanto desses livros chick-lit, depende muito para me agradar, principalmente quando a protagonista passa a imagem de chatonilda, haha, mas até que daria uma chance para "Ah, o Verão", porque quero conferir a edição da Valentina. Não tenho muitas expectativas, mas tudo bem, leria em último caso.

    ResponderExcluir
  5. Olá Ricardo,

    Não conhecia o livro, mas confesso que fiquei curioso...boa dica...abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi.

    Ás vezes acho este estilo de livro meio fútil rs, mas adoro ler alguns e acaba que no final eu aprendo muito com eles. Por ser uma leitura leve e divertida já está em minha lista de leituras e espero gostar e me diverti muito.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não curti muito. A capa dele é muito bonitinha, mas a história não conseguiu me convencer.

    ResponderExcluir
  8. Verão, essa estação que consegue guardar e nos proporcionar tantas lembranças, achei a premissa um pouco clichê, mas se contada bem qual é o problema disso, não é...
    As vezes é preciso um livro assim, mais leve para se sair de uma grande ressaca literária.

    ResponderExcluir
  9. Personagens adolescentes já não me agradam, e quando vem com essas chatices, mimizices e birrentices, minha falta de paciência extrapola. Mesmo que ao final a personagem mostre uma certa evolução, fico sempre esperando que ela dê esses ataques e a "possível admiração" vá toda por água abaixo. Enfim, acho que mesmo com essa insuportavelzinha como protagonista, creio que seja uma leitura leve. Quem sabe no futuro.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir