Um Novo Amor à Vista, Cláudio Quirino, 1ª edição: Amazon, 2014, 160 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

A vida de Darla muito se assemelha a de tantas outras mulheres brasileiras. Em busca da realização de seus sonhos, ela está sempre trabalhando, mas com um detalhe imprescindível: Darla é uma compradora compulsiva e quer o que há de melhor no mercado. Sem conseguir resistir à tentação de ver produtos maravilhosos nas vitrines, ela compra bolsas, sapatos, roupas, óculos e diversos outros tipos de produtos.

Mas tudo se intensifica quando seu namorado Greg termina um relacionamento de seis meses, deixando-a totalmente solitária. Para controlar a solidão, claro que Darla vai às compras, apesar de seu saldo bancário continuar no vermelho. Ela só não espera que está prestes a viver um sonho e que esse sonho reservará surpresas divertidas e situações que só poderiam acontecer a ela!

“A imagem de Greg deitado na minha cama, coberto apenas por um lençol branco, me apunhala pelas costas. Detesto a ideia da solidão. Quem é que pode terminar os seus dias de vida assim, sem ninguém para compartilhar seus momentos?
Quem é que desiste de tudo que traz felicidade para lutar por uma causa perdida?
Ninguém, exceto um louco. Ou, talvez, um hipopótamo” (pág. 19).
Muitos sabem que um chick-lit não costuma chamar a atenção e a maioria das minhas experiências com esse gênero não foi a mais agradável possível. Até então, as personagens costumavam ser irritantes; já as histórias, apesar de alguns casos interessantes, tomavam rumos dispensáveis, em especial quando acompanhadas pelos clichês. Apesar disso, o chick-lit de Cláudio Quirino se mostrou um caso à parte.

Um Novo Amor à Vista já começa com um tom diferente ao mostrar uma mulher mais experiente do que as adolescentes mimadas que protagonizam outros títulos. Além disso, Darla não fica páginas e mais páginas lamentando o fim do seu relacionamento, mesmo que busque se esquecer de seu ex-noivo. Mas, sem a menor dúvida, são as experiências que ela vive que tornam sua história tão divertida.

Está para nascer uma mulher que não gosta de sair às compras e não conhece as principais tendências da moda, assim como as melhoras marcas do mercado. Com a protagonista criada por Cláudio isso não poderia ser diferente. Ao melhor estilo eu vou comprar para esquecer meus problemas, Darla se diverte e diverte o leitor, não apenas quando está comprando. Independente da situação, ela gera cenas divertidíssimas, mostrando que não passa de uma garota atrapalhada. Ao extremo!

Essa característica remete também aos exageros mostrados por ela. Se uma mulher já costuma fazer isso, principalmente ao tratar de si mesma, a protagonista de Um Novo Amor à Vista faz isso com maestria. Além de falar sobre a vida e de sua desgraça com muitos exageros, ela faz as melhores comparações possíveis. O resultado disso é a infinidade de situações que só aconteceriam com uma pessoa como Darla.

Não dá para dizer, no entanto, que Darla está livre de irritar o leitor, que ainda se pergunta o motivo da protagonista tomar determinadas atitudes ou falar tanta besteira. Ficamos na dúvida sobre a normalidade da protagonista, que é de longe quem comanda o enredo. Seria Darla uma pessoa normal ou mais uma paranoica, que se descreve e descreve o mundo como ela vê e não como realmente é?

Independente da resposta, como qualquer chick-lit, o romance está presente para felicidade dos apaixonados de plantão. A relação amorosa, que surge do lugar mais inesperado, não chega a incomodar e ainda é bem original. É possível perceber que o autor tinha domínio de seu enredo, mesmo sem toda a experiência que poderia ser necessária. Se o leitor não soubesse que Um Novo Amor à Vista foi escrito por um homem, dificilmente desconfiaria, até porque Cláudio fala como ninguém sobre o misterioso universo feminino.

“Sinto que os meus desejos vão explodir a qualquer minuto e, de todo modo, Diego bem que merece uma nova surpresinha. Não posso ficar à margem de um medo bobo e descabido incutido por uma sociedade preconceituosa.E quem foi que disse que somente as ricas, as magras e esbeltas podem dominar o mundo? Sou como qualquer uma delas.Aliás, tenho potencial e diferencial – eu tenho coragem” (pág. 97).

4 Comentários

  1. Parece uma daquelas leituras ótimas!
    Divertido e engraçado
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro e o que mais me chamou atenção nele foi o fato de ser um chick lit escrito por um homem! Bom, chamou atenção porque eu nunca li uma obra com um tema desses feita por um homem.
    Até que as minhas experiências com esse tipo de literatura foram boas... Não posso dizer que seja meu queridinho, mas sempre que posso eu leio algo.
    Bacana que o romance não incomoda, porque não tem nada (?) para me deixar mais chateada do que um romancezinho chato que não me convence.
    Vou até anotar o nome desse livro aqui, acredito em sua opinião e espero gostar dele tanto quanto você (:

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Ricardo,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui no seu blog, achei bem interessante, gosto de ler livro assim e a capa é muito legal....boa dica....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto bastante de chick lit, pois, apesar de ter esses probleminhas que você listou, eles costumam ser bem leves e divertidos. Nada pra se pensar muito, ou esperar que algum deles mude minha vida. O que achei legal aqui é que foi escrito por um homem. Fiquei bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir