Adélia Prado é agraciada com o Griffin Poetry Prize
A poetisa mineira Adélia Prado, uma das principais representantes da atual literatura brasileira, recebeu na noite de quinta-feira, 05, em Toronto, o Griffin Poetry Prize, principal prêmio de poemas do Canadá. Adélia, de 78 anos, já foi traduzida para o inglês e o espanhol e agora também tem sua obra reconhecida internacionalmente, após já ter recebido o Prêmio Jabuti em 1978.

Lançada nova versão do aplicativo do Widbook para iOS
Desde que lançou sua versão em português, no início do mês de maio, o Widbook está com inúmeras novidades e a mais recente é o lançamento da nova versão do aplicativo para iOS, possibilitando a leitura de todos os eBooks publicados através da rede social de maneira mais rápida.

Segundo Anderson Araújo, diretor de Operações do Widbook, mais da metade dos usuários da plataforma utilizam a rede via mobile, por isso a “necessidade de desenvolvermos um app mais rápido, que facilitasse a navegação, proporcionando a melhor experiência de leitura possível”. Já o fundador e CEO da empresa, Flávio Aguiar, explica que “os próximos passos serão desenvolver o aplicativo para Android e possibilitar a escrita no aplicativo”.

Além de uma nova experiência de leitura, o aplicativo para iOS proporciona também uma interação maior entre os usuários, facilitando a troca de mensagens, indicações e pesquisas de obras publicadas.

Acesse a loja da Apple clicando aqui e faça o download do aplicativo gratuitamente.

Alberto da Costa e Silva vence o Prêmio Camões 2014
O quarto ocupante da cadeira 9 da Academia Brasileira de Letras (ABL), Alberto da Costa e Silva, foi escolhido como o vencedor do Prêmio Camões 2014, principal premiação da literatura de língua portuguesa. Costa e Silva é o 11º brasileiro a faturar o prêmio, que também já agraciou onze portugueses, dois angolanos, dois moçambicanos e um cabo-verdiano.

A escolha do historiador e diplomata Alberto da Costa e Silva aconteceu em cerimônia realizada em Lisboa e a decisão do júri foi unânime, elegendo o brasileiro pelo conjunto de sua obra e pelo trabalho diplomático realizado entre América Latina, África e Europa. Através de nota divulgada pela Academia Brasileira de Letras, o ganhador do Prêmio Camões 2014 disse que apesar de perplexo, ao saber que a decisão foi unânime, a alegria sentida é muito grande. “Qualquer escritor que tivesse sido galardoado com o Camões ficaria honrado. É o meu caso”, completou o escritor.

Ocupante da cadeira fundada por Carlos Magalhães de Azeredo, Alberto da Costa e Silva é membro da ABL desde 2000 e publicou seu primeiro livro, “O Parque e outros poemas”, em 1953. Desde então publicou outros sete livros de poemas, além de obras como historiador, ensaísta e memorialista.

Filho do poeta Antônio Francisco da Costa e Silva, o vencedor do Prêmio Camões 2014 nasceu em São Paulo no dia 12 de maio de 1931. É acadêmico correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e já trabalhou como diplomata e embaixador do Brasil em diversos países do mundo, como Portugal, Colômbia, Paraguai e Nigéria. Seu trabalho é reconhecido principalmente por falar sobre a história da África.

Alberto da Costa e Silva é o sucessor do brasileiro Dalton Trevisan e do moçambicano Mia Couto, vencedores do Prêmio Camões em 2012 e 2013, respectivamente.

Lançamento de livro marca a inauguração de pousada cultural
Aconteceu em Espírito Santo do Pinhal, no fim da tarde do último sábado, 31, o lançamento do livro “Definições da Vida”, segunda antologia poética publicada por Fernando Vieira de Carvalho Campos Salles. O evento, que contou com a participação de artistas, autoridades e da população em geral, marcou também a inauguração da pousada Villa do Poeta, um novo espaço cultural para a cidade do interior paulista.

Em entrevista exclusiva ao blog Over Shock, o poeta Fernando Campos Salles, também administrador da pousada, disse que “mostrar o que as pessoas de sua cidade e região têm de bom faz com que todo o ambiente seja melhor, e isso é importantíssimo para o progresso de todo tipo de comunidade”. Ainda segundo Fernando, “além das obras de arte queremos também ter livros de escritores pinhalenses, tanto para consulta como para comercialização”.

Ao ser questionado sobre o processo de escrita e publicação de “Definições da Vida”, o escritor revelou que foi feita uma seleção de poemas em arquivos de seu computador e que a escrita envolveu muitas experiências do seu cotidiano. Fernando comentou ainda que origem do título veio da leitura do livro de Alberto Caeiro: “apesar das minhas experiências poéticas divergirem em muitos pontos desse pseudônimo de Fernando Pessoa, essa leitura me encorajou, pois eu também buscava a simplicidade da mente e dos sentidos”, explicou.

Autor do livro “Devaneios” (2006), Fernando fez ainda uma comparação entre os dois trabalhos e disse que em seu primeiro livro expressou essa “coisa fenomenal que é verbalizar algo que faz parte de mim, e que fala da espiritualidade e do amor à religião, que se torna plena somente com Jesus”. Já em seu novo livro, publicado pela Scortecci Editora, “a imaginação, e não mais só a súplica religiosa fez parte dos meus poemas”.

O seu próprio amadurecimento também é destacado por Fernando Campos Salles, que ressalta o seu estilo literário dizendo que seus poemas são curtos e diretos: “Falar com poucas palavras e recursos poéticos de algo que vem das experiências de vida é o grande legado do poema e o grande amadurecimento em relação ao meu primeiro livro Devaneios”, conclui.

A Villa do Poeta está localizada na Praça da Bandeira, 78, no Centro de Espírito Santo do Pinhal-SP.

O livro “Definições da Vida” pode ser adquirido clicando aqui.

2 Comentários

  1. Eita que nossos autores estão com tudo, hein?!?! Dois prêmios internacionais!!!! Não conhecia nenhum dos dois, mas fiquei feliz em saber que o mundo está de olho no Brasil.
    E espero que essa pousada em Espírito Santo do Pinhal seja um sucesso.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  2. Nossa, meus parabéns aos autores Adélia Prado e Alberto Costa e Silva, sem dúvidas mereceram seus prêmios!
    Adorei a ideia do Fernando Vieira também, uma pousada cultural deve ser um lugar incrível.

    ResponderExcluir