Fragmenta-me, Tahereh Mafi, tradução de Bárbara Menezes, Ribeirão Preto-SP:
Novo Conceito, 2014, 70 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

A escrita de histórias paralelas só pode ser um sinal de que a história original se tornou um grande sucesso, mas no caso da trilogia Estilhaça-me acontece também que outros personagens são tão adorados/odiados quanto a protagonista Juliette. O conto Destrua-me serviu para o leitor rever sua opinião sobre Warner, o que também acontece no conto Fragmenta-me, protagonizado por Adam.

Ainda que a ideia seja a mesma, ou seja, a autora Tahereh Mafi tem a intenção de se aprofundar em outro personagem entre cada um dos livros, Destrua-me e Fragmenta-me possuem resultados finais bem distintos. O primeiro é capaz de fazer o leitor simpatizar por seu narrador, no segundo o ódio pode aumentar, ainda que seja apresentado o lado emocional de Adam.

Outra diferença está também no clima da própria história. Fragmenta-me possui seu toque de ação e não apenas a tensão psicológica, encontrada anteriormente, e isso resulta também em atitudes questionáveis de Adam, que muda de opinião com a mesma rapidez que consegue irritar tão logo abre a boca pela primeira vez.

Felizmente o conto foi lançado simultaneamente com o último livro da trilogia, Incendeia-me. O final de Fragmenta-me não apenas instiga o leitor, como também lhe dá a certeza de que o desfecho será no mínimo surpreendente.

“Se dependesse de mim, ela estaria lá na base com James, onde sei que estaria segura, mas ela nem me ouviria se eu pedisse isso. Kenji e Castle sempre a estão paparicando quando não deviam e, para ser sincero? É perigoso. Não é bom fazê-la pensar que ela pode fazer esse tipo de coisa quando, de verdade, isso provavelmente vai matá-la”.

4 Comentários

  1. É novidade pra mim ver contos fazendo sucesso. Como disse no outro post, nunca tinha ouvido falar destes e estou conhecendo aqui através do blog. Valeu pelas dicas. Espero ler em breve. De vez em quando é legal ter algo curto e bacana para ler. =D

    ResponderExcluir
  2. Acho legais esses contos justamente por isso que você comentou aqui, o aprofundamento de personagens interessantes, mas que não tem tanto espaço nos volumes da série. Mas, só acho que o autor tem que tomar muito cuidado pra não descaracterizar completamente as personagens que estão tendo voz. Enfim, quero muito ler essa trilogia muito em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dom Dom, acho que nesse caso a autora não peca por descaracterizar um personagem, mas mostra a verdadeira essência do mesmo, o que é confirmado na leitura dos romances. Vale ressaltar que foi o primeiro conto que fez eu mudar de ideia em relação ao Warner. rsrs

      Abraços,

      Excluir
  3. Bom, como não li nenhum dos livros da trilogia não sei dizer muito sobre o conto, mas tal como os outros livros são, este também deve ser muito interessante. Adoro contos que são assim ligados com outros livros, pra mim são uma ótima forma de complementar a história e enriquecer nossa visão sobre os personagens..

    ResponderExcluir