Sonhei que Amava Você, Tammy Luciano, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ:
Valentina, 2014, 296 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Os sonhos de Kira ganharam um significado mais especial quando ela passou a se encontrar com um garoto que a completava. Mas enquanto suas noites são felizes, ela vive a incerteza de um dia encontrá-lo pessoalmente para transformar os sonhos em realidade.

Ela sabe que isso acontecerá, cedo ou tarde. Kira só não imagina que o encontro com o garoto misterioso pode proporcionar algumas situações inesperadas e obrigatoriamente isso significar o seu próprio amadurecimento. Se aventurando ao lado de seus irmãos gêmeos e de sua melhor amiga, no fundo Kira busca o seu final feliz e isso só acontecerá quando ela finalmente estiver de fato ao lado dele para sempre.

“O sonho não vinha. Fiquei pensando na Lelê apaixonada pelo Cadu, na Fabi, que mal conhecia, apaixonada pelo Cafa e eu oniricamente apaixonada. Coração vazio também nos dá uma sensação estranha, como se a vida ficasse de certa forma sem graça e não tivesse muita cor. Não estava triste, mas não me sentia feliz” (pág. 36).
Ao tratar dos sonhos, um escritor trabalha com uma infinidade de possibilidades, bastando a ele escolher o melhor caminho para que suas personagens conquistem seus objetivos. Sonhar com o que realmente desejam é apenas uma das possibilidades que poderiam ser exploradas por Tammy Luciano em Sonhei que Amava Você, seu novo trabalho – que foi inclusive comparado com Garota Replay, livro lançado por ela em 2012.

A originalidade é o que marca as duas obras e a semelhança está no fato de em nenhum dos casos tudo ser apenas fantasia – apesar de a explicação surgir apenas nos momentos finais. Em mais uma bela história de amor, a escritora uniu perfeitamente a realidade e o mundo dos sonhos, mas fazendo com que esse encontro acontecesse através do cotidiano de Kira, aumentando a importância de todos os elementos em sua busca pelo final feliz, já que eles acabam sendo determinantes nos sonhos da garota.

Essa importância é comprovada pelo fato de os sonhos da narradora-personagem, sejam eles premonitórios ou não, também são sobre outras personagens e não apenas para benefício próprio. De uma forma ou de outra, isso colabora para que o relacionamento de Kira com o garoto de seus sonhos tenha um charme a mais.

No entanto, apesar do casamento entre sonhos e realidade ocorrer de uma ótima forma, existem algumas contradições entre cenas, além de diálogos cortados ou estendidos que não ficam naturais e são perceptíveis. Isso não impede a evolução, a começar pelas atitudes da protagonista não serem infantis. A única coisa que incômoda é a preocupação dela com personagens que poderiam ser facilmente ignoradas e isso acaba irritando em diversos momentos.

Por falar em personagens, eles também representam parte da evolução entre as obras. Se antes nem todos agradaram, isso não acontece em Sonhei que Amava Você, e por um motivo especial: todas, até mesmo aquelas que fazemos questão de esquecer, têm algo para transmitir, em parte para o crescimento da protagonista, mas também para a própria história. No fim, conseguem transmitir o que é certo ou errado de maneira bem sútil.

Ainda que novamente não tenha divisões de cenas, tampouco entre realidade e sonhos, a leitura é rápida e isso se deve muito ao modo agradável como a história é narrada. Fica claro que Tammy Luciano fala com seu próprio coração, como se se utilizasse da protagonista para falar sobre si mesma, dessa vez com um ingrediente a mais: um mistério previsível, mas ainda assim com sua devida importância.

Com tantas referências da música nacional e internacional, faltou uma canção que fosse capaz de marcar a história de Kira e ela não poderia ter sido eternizada na voz de outro cantor que não Cazuza, o eterno Poeta do Rock – mas somente através da leitura será possível identificar a canção e entender tal comentário. O fato é que a união de Tammy e Cazuza, nesse caso, daria muito certo.

“As cores daquele sonho estavam mais turvas do que o normal e me dei conta da ansiedade me fazer mergulhar nos sonhos, sem tomar cuidado ou pensar duas vezes onde estava pisando. Será que eu podia dormir, sonhar e acordar quando bem quisesse? Esperava que sim. Será que eu podia dormir, sonhar e me perder dentro de mim mesma? Esperava sinceramente que não” (pág. 114).

8 Comentários

  1. Olá Ricardo!

    Tenho lido vários cometários a respeito desse livro, me chamou atenção pelo romance vivido pela personagem através do sonho, achei muito interessante e diferente.

    Adorei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Um livro que se passa no mundo dos sonhos? isso mesmo? Eu estou surpresa a resenha me deixou suuuuper curiosa para saber como é a historia, ainda mais por que eu gosto desses temas diferentes, já tenho mais um livro na minha lista para o black ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manu, na verdade a Tammy trabalha os sonhos e a realidade em um casamento que considero perfeito. O que mais se destaca é justamente o fato de os sonhos serem extremamente importantes. :) Espero que leia e goste da história.

      Excluir
  3. Olá Ricardo,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, me parece interessante e bem diferente, já li um livro da autora, mas apesar de gostar achei um pouco fraco, mas quem sabe dou uma chance a esse...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Estou curiosa para ler esse livro, esto vendo várias resenhas positivas, até hoje não li nada dessa autora mais tenho vontade. Li resenhas mais não tinha visto que ela traz referência de músicas, fiquei mais curiosa para ler.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa, achei a temática bem diferente, já havia visto sobre o livro, mas nunca iria imaginar que o enredo seria tão rico assim. E gostei de que ela desenvolveu qualquer personagem na história, deu mais vida e personalidade nele.
    A capa ficou bem bonita, e a autora está de parabéns, ainda mais por nos representar.
    Abraços Ricardo, ThayQ.

    ResponderExcluir
  6. Olá Ricardo!
    Adorei a resenha! Estou com muita vontade de ler este livro, estão falando muito bem dele.
    Eu conheci a autora com Garota Replay, e olha, o final me pegou de um jeito que eu nem acreditei. Até resenhei o livro no meu blog.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ricardo, que resenha maravilhosa, a melhor que sobre o livro até agora. Fiquei tentado por esse livro desde que Valentina pediu que os leitores escolhessem a capa e por incrível que parece a que eu queria foi a escolhida. Mas a leitura desse livro vai ter que esperar, comprei muita coisa no Black Friday e não da para comprar livro para deixar estacionado na estante :(

    Xo
    Re.View

    ResponderExcluir