Quero Ser Beth Levitt, Samanta Holtz, 1ª edição, Barueri-SP: Novo Século, 2013, 544 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Desde que perdeu os pais, Amelie Wood vive em um abrigo de meninas. Quando finalmente completa dezoito anos, a garota precisa encarar o mundo e ir atrás dos seus sonhos. Sua única companhia é um exemplar antigo do romance “Doce Acaso”, que conta a história de Beth Levitt, uma jovem que amava balé e que teve sua vida mudada após conhecer o príncipe Edward.

Encantada pela história de Beth Levitt, Amie tem o desejo de também encontrar o seu príncipe encantado e, assim como a sua personagem favorita, quer ter sua vida transformada. Ela só não imaginava que os acasos da vida acabariam a levando ao mundo do cinema e que, a partir disso, seria preciso encarar a maldade de algumas pessoas que estão dispostas a atrapalhá-la em sua caminhada.

“Acarinhou a capa do livro e sorriu. Para ela, Beth se tornara mais que a simples concepção de um escritor; era sua companheira, sua referência, sua melhor amiga. Gostava de pensar que sua vida seria como a dela: mudanças inesperadas, um príncipe apaixonado e o desfecho digno de contos de fadas” (pág. 12).
Muito se fala sobre ler até mesmo a lista de supermercado de alguns escritores, e não tenho dúvidas de que Samanta Holtz se enquadra perfeitamente nesse grupo de escritores. Muitos são os motivos para que isso aconteça, porém basta usar como exemplo a escrita da autora, que sempre transmite emoção, sensibilidade e verdade, afinal, ela fala com o coração.

Quero Ser Beth Levitt, segundo trabalho de Samanta, pode até ser um livro longo, mas seu enredo é de uma riqueza incomparável e, aliado a já citada escrita, proporciona horas prazerosas de pura emoção. Além de não ser um livro monótono, acompanhamos os altos e baixos na vida da protagonista, nos envolvendo como se fizéssemos parte da história e pudéssemos agir pelo bem de Amelie Wood.

Se passamos toda a leitura querendo se aproximar de Amie, isso se deve especialmente por ela ser uma garota simples e encantadora. Da mesma forma que a verdade na escrita de Samanta conquista o leitor, a verdade em Amie também o conquista, seja através de suas palavras ou gestos, como se criadora e criatura fossem uma só — e se fossem não seria possível estranhar.

Mas tantos pontos positivos não mudam o fato de, até certo ponto, se tratar de um livro previsível, algo natural para o gênero. Isso poderia ser considerada uma falha se tivesse sido escrito por qualquer pessoa que não Samanta Holtz. Ela tem a facilidade de contornar a situação e pegar o leitor de surpresa, sendo que esse pode acertar o que vai acontecer, mas nunca como vai acontecer. Exatamente essa característica que causa toda a emoção da leitura.

A emoção se deve também a duas situações bem distintas: o amor vivido por Amie e sua busca por seus antigos desejos, ainda que ambas as situações se completem. A verdadeira essência de Quero Ser Beth Levitt, portanto, não é apenas o amor em sua mais delicada forma, e sim a realização dos sonhos e como eles podem não significar apenas o encontro com a felicidade. É possível perceber o autoconhecimento e o amadurecimento, mas especialmente como o coração puro de uma garota sensível representa nada além do que o bem, e quando o bem está em jogo tudo acaba sendo muito melhor.

A delicadeza de Samanta Holtz está evidente na obra, assim como os passos de uma bailarina que desvia dos percalços da vida em busca dos sonhos. Se a difícil missão da autora era encantar tanto quanto encantou em sua estreia, com o inesquecível O Pássaro, ela conseguiu e, mais do que isso, surpreendeu. Em uma obra que exalta, entre outras coisas, os sonhos, o amor e a importância da arte em nossa formação, é inevitável concluir a leitura sem esboçar um sorriso pelo aprendizado e as vitórias de Amelie Wood.

“Um choque doce invadiu-lhe os sentidos. O chão sumiu dos seus pés e, por alguns segundos, ela não sabia onde estava. As únicas referências eram o corpo dele colado no seu, as mãos firmes em suas costas e a boca dele sobre a sua, cuidadosa, como se ela fosse feita de porcelana. Não se lembrava de já ter vivenciado uma sensação tão deliciosa” (pág. 392).

9 Comentários

  1. Fiquei bem interessa a partir de que você cita que ela escreve transmitindo a emoção e coração. Não que seja difícil ver autores assim, é que alguns tem uma essência diferencial, dá pra sentir.
    Amelie parece ser uma personagem frágil, não que seja boba, mas tem algo diferente nela.
    Abraços Ricardo,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Faz pouco que terminei de ler Renascer de um outono e realmente a escrita da Samanta é encantadora. Assim como vc quero ler todos os livros dela, inclusive "O pássaro" já chegou e este comprei pelo submarino e já deve estar chegando.
    Adorei sua resenha e só me deixou mais curiosa!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa, fico feliz em saber que vai ler os demais livros da Samanta. Não vou dizer que torço para você gostar porque tenho certeza que isso acontecerá. rsrs
      Vou aguardar por sua opinião. :)

      Beijos,

      Excluir
  3. Olá Ricardo,

    Esse livro parece ser encantador e romântico, é o tipo de leitura que mexe com nossas emoções, adoro leituras assim :)

    Linda resenha! Parabéns!

    Beijos
    Rê Souza

    ResponderExcluir
  4. Querido Ricardo,

    Muito obrigada pela lindíssima resenha sobre "Quero Ser Beth Levitt"! Assim como você se sente em relação aos meus livros, é como eu me sinto com suas postagens: sei que sempre posso esperar textos incríveis, seja exaltando os pontos positivos, comentando os não tão positivos... adoro sua escrita!! E espero poder ler seus trabalhos futuramente também :D

    Fico muito feliz em saber que a leitura foi tão agradável e surpreendente!

    Um forte abraço e obrigada pelas palavras!

    Sam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samanta.
      Você não sabe como fico feliz com seu comentário e com seu reconhecimento. Sempre ótimo encontrar escritores tão próximos dos seus leitores, e no seu caso isso vai além pelo simples fato de possuir uma escrita incrível. Quem ganha é a nossa literatura. :)
      Foi um prazer enorme conhecer "Quero Ser Beth Levitt" e espero ter a oportunidade de conhecer "Renascer de um Outono" o mais breve possível.

      Abraços e muito sucesso!

      Excluir
  5. Ahh!!! PS: Espero que tenha gostado do seu "xará" no livro :D hehehe

    ResponderExcluir
  6. Olá Ricardo!
    Adorei a resenha. O livro parece ser bem interessante e cativantes também. Quem sabe eu não leria né? :3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá Ricardo,

    Esse livro esta na minha lista de desejados, só leio resenha positivas dele, concordo com você, acho que leria até bula de remédios da autora....escreve demais...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir