Título Original: If I Stay
Diretor: R. J. Cutler
Duração: 96 minutos
Baseado: Se Eu Ficar, de Gayle Forman
Mia Hall (Chlöe Grace Moretz) é uma prodigiosa musicista que vive a dúvida de ter que decidir entre a dedicação integral à carreira na famosa escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam (Jamie Blackley). Após sofrer um grave acidente de carro, a jovem perde a família e fica à beira da morte. Em coma, ela reflete sobre o passado e sobre o futuro que pode ter, caso sobreviva.
A história de Gayle Forman em Se Eu Ficar, best-seller internacional publicado no Brasil pela Rocco e republicado recentemente pela Novo Conceito, tem um tom de originalidade, apesar de no fundo tratar um tema batido na indústria do entretenimento. Se na literatura a ideia funcionou, o mesmo poderia não acontecer com a adaptação ao cinema.

A chance de o filme Se Eu Ficar não dar certo era alta pelo simples fato de não passar de um romance adolescente como outro qualquer. Ainda mais se levarmos em conta que parte da essência seria obrigatoriamente perdida, visto que a narrativa em primeira pessoa aproxima o leitor da personagem e isso não acontece em um filme. Pelo menos não na mesma proporção.
Com a consciência de que isso pode acontecer, a chance de um leitor entender a produção, e consequentemente aceitá-la, é maior do que de quem conhece a história apenas pelo longa-metragem. Isso significa que a adaptação, como um todo, funciona e pode ser muito bem apreciada, ainda que não tenha a mesma emoção que se tem vivenciado tudo através da visão de Mia, a protagonista.

Seja um simples filme adolescente ou não, Se Eu Ficar impressiona pela qualidade de sua fotografia, bem como pela trilha sonora, principalmente por ela ser de extrema importância para o enredo e, ainda mais, para a construção das personagens. Com poucos detalhes, o filme consegue dar vida aos sentimentos silenciosos de uma leitura levemente angustiante.
A jovem e talentosa Chloë Grace Moretz, protagonista do longa, também convence em sua atuação e a primeira impressão que fica é que nenhuma outra atriz faria o papel tão bem, mesmo que Chloë também não seja capaz de transmitir a mesma emoção da leitura. Já Liana Liberato, apesar de ser apenas uma personagem secundária no papel da melhor amiga de Mia, mostra uma evolução incrível se comparada com seus primeiros trabalhos – como admirador da atriz, foi impossível ignorar sua atuação.

Para os leitores de Gayle Forman, a adaptação de Se Eu Ficar pode não envolver tanto quanto as palavras da obra literária, porém em ambos os casos a família de Mia faz a diferença e, por todas as suas maluquices, fica impossível não se solidarizar com uma família perfeita. Mesmo com cenas importantes deixadas de lado, e insignificantes aproveitadas ao máximo, o resultado final não poderia ser mais agradável. Precisa apenas ter uma continuação, porque ela seria infinitamente superior.

7 Comentários

  1. Eu ainda não li os livros, apesar de ter aqui em casa. Mas também acabei não vendo o filme.
    Chloë faz bem mesmo os filmes, ela é uma ótima atriz. Mas por resenhas, eu achei a Mia tão chata .zzz
    Mas mesmo assim quero assistir também. A continuação tem tudo mesmo para ser melhor ainda.
    Abraços Ricardo,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Rica,
    Eu ainda não vi a adaptação de Se eu ficar, mas gostei do livro. No geral é um livro essencialmente apelativo e adolescente, mas o segundo volume conserta tudo em que o primeiro peca. Eu gosto muito da narrativa de Gayle e estou doida para ver Apenas Um Dia no cinema também.

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mari.
      Espero que goste da adaptação quando tiver a oportunidade de assistir. Sobre o segundo livro, concordo com você quando diz que ele conserta as falhas do livro anterior. Posso dizer que me surpreendi com essa leitura e isso apenas aumentou minha curiosidade por "Apenas um Dia", que antes não tinha tanto interesse. rsrs

      Beijos,

      Excluir
  3. Olá Ricardo,

    Eu tinha certeza que essa adaptação seria boa, a maneira que a história foi escrita facilita muito .....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Eu queria muito ler este livro e assistir ao filme, mas não sei, acabou passando e não fiz nenhum dos dois.
    Mas minha curiosidade pela história continua, e pretendo ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie Ricardo!! Ainda não li o livro por medo de me emocionar mais do que me emocionei ao assistir o filme (não parava de chorar), e pelo que você diz com, certeza é isso que vai acontecer! Mas o filme é muito agradável! A fotografia é realmente linda, os atores ao meus ver se saíram bem em seus papeis e a trilha sonora ahhhhh a trilha sonora do filme é linda!

    Xo
    Re.View

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alisson. Na verdade já vi opiniões bem diversas e curiosamente muitos disseram ter se emocionado mais com o filme do que com o livro. Não sei em qual dos times você vai se enquadrar, mas espero que independente disso você aprecie o livro tanto quanto o filme.
      Aliás, a trilha sonora é simplesmente perfeita. :D

      Abraços,
      Ricardo - www.overshockblog.com.br

      Excluir