Olá, pessoal.

Recentemente percebi que muitas pessoas gostam dos meus artigos. Mas a maioria dos comentários são a mesma coisa: só não escrevo um livro porque não tenho ideias.

Então como gosto da frase “ou somos parte do problema ou parte da solução”, resolvi começar essa série de artigos sobre como ter ideias para escrever um conto ou até um livro inteiro.

Como viram no título, essa é a primeira parte de uma série de artigos. Sinceramente, não tenho a previsão de quantos serão, pois tratarei o assunto de forma delicada e gradual. Então espero que gostem.

***

Há cinco coisas que devem ser levadas a ferro e fogo pelo o aspirante a escritor (isso não está em ordem de hierarquia. Todas são pré-requisitos mínimos):

1. Método de anotar ideias e arquivá-las.

Nunca confie no poder da sua memória. Então sempre tenha em mãos algo para registrar suas ideias: um caderno grande ou pequeno, um bloco de notas ou até o celular com gravador de voz e/ou bloco de notas são ferramentas úteis para registrar aquilo que vale a pena.

Feito isso, pense em uma forma de arquivar suas ideias: guarde o seu caderno em uma gaveta que ninguém vai mexer e você vai lembrar que ele está lá, use um fichário ou salve tudo em uma pasta no seu computador e use um pen drive de backup. Nada seria mais triste do que ter aquele bloco de notas cheio de ideias para textos sendo usado como caderno para anotar telefones pela sua tia ou ter que formatar o PC por causa daquele irmão mais novo que vive acessando a sites que trazem até o vírus da dengue para o computador...

2. Estudar técnicas de escrita.

Tudo na vida é uma questão de estudo e prática. E escrever não é exceção. Você não é Camões, José de Alencar, Eiji Yoshikawa, Dostoievski ou qualquer um desses que você ACHA que não estudaram técnicas de escrita. Então se você não sabe o que é A Jornada do Herói, compor uma cena, a diferença entre ficção científica e fantasia, os momentos para usar incisos em diálogos, o que é um soneto, como variar a faixa etária ou até mesmo a diferença entre conto, romance e crônica... só dou um recado: você tem muito a aprender.

Como estudar: livros, revistas, sites e podcasts são uma boa pedida. Há uma boa lista aqui.

3. Ler: primeiro sobre o tema que vai escrever. Depois, outras áreas.

Você já leu O Senhor dos Anéis, Crônicas de Fogo e Gelo, Eragon, O Caçador de Gigantes, Tormenta – Inimigo do Mundo, Crônicas do Mundo Emerso... e quer escrever um livro de contos policiais? Como assim?

Se você quer escrever em um gênero, para um determinado público e em certo tema, precisa ver como outros autores trabalharam-no. E não: não adianta jogar horas de Resident Evil para criar o seu conto sobre zumbis sem ter lido um livro sequer e nem todas as HQs de The Walking Dead do mundo vão te ajudar em tal tarefa.

Filmes, seriados e jogos são boas fontes de inspiração. Fato. Todavia, sua forma de cativar o público se baseia em imagens e sons que não são possíveis de serem obtidos em livros. Então quando quiser escrever algo sobre vampiros, considere os filmes/jogos/seriados sobre o assunto como um soro caseiro e o livro Drácula como o prato principal.

Com uma boa prática de leitura, você pode expandir para outras áreas: seu livro é sobre um policial surtando pela pressão do trabalho? Então é melhor ler um pouco sobre psicologia. Seu conto fala de um juiz decidindo se condena ou não um criminoso? Você precisa aprender sobre como funciona o código penal. O seu personagem acredita que é preciso matar pessoas fracas para que as gerações mais fortes apareçam? Ele tem uma visão deturpada dos ideais de Nietzsche, não concorda?

4. Se você quer escrever, escreva.

Um escritor profissional, como o nome diz, leva o seu trabalho como profissão. Então ele se empenha todos os dias em seu ofício. O que você fez hoje pelo seu livro: fez o resumo, definiu quantos capítulos terá, fez a pesquisa sobre o assunto que vai tratar, definiu os personagens, alguma cena... ou nada?

Livros não se “autoescrevem”. Então se quiser ver a sua ideia pronta, precisa trabalhá-la nem que seja aos pouquinhos.

5. Monte uma equipe de avaliadores.

Você tem amigos que leem bastante? Ou conhece pessoas que possuem a capacidade de dar opiniões sinceras?

Então nada melhor que tê-los como leitores Beta. Afinal de contas, você não está escrevendo para deixar tudo na gaveta, não é mesmo? Então exponha seu trabalho para essas pessoas de forma impressa ou manuscrita (com letra legível, é claro!) ou mídia digital através de e-mail, blog ou arquivo. E vá separando o joio do trigo: palpites não são a mesma coisa que ordens.

***

Amigos leitores, se vocês já praticam os pré-requisitos acima, vocês já têm pelo menos 50% do necessário para escreverem um conto ou um livro. A outra metade vocês conseguirão com o que irei ensinar nos próximos capítulos. Como eu disse, serei bem gradual nos ensinamentos e não quero criar textos longos logo de cara.

Aguardo comentários e espero que gostem desta minha iniciativa.

Abraços a todos e continuem escrevendo!

Sobre o Autor
Davi Paiva da Silva nasceu em 22/03/1987, em São Paulo – SP. Está cursando Letras na UNICSUL, publicou o texto "18 anos sem Ayrton Senna" no site minilua.com, além de um microconto com a hastag #tweetcontos no twitter DaviTweetcontos e colabora com artigos no blog espadaarcoemachado.wordpress.com. No mundo impresso, participou das antologias de contos Corações Entrelaçados, Névoa, Quimera, Sopa de Letras, Amores (Im)Possíveis, Mentes Inquietas e Livre Para Voar todas da Andross Editora.

Contato: davi_paiv@hotmail.com.

4 Comentários

  1. Muito legal o post dando ideias de como escrever.Muitas vezes as pessoas possuem a ideia na cabeça, porem não sabem externá-las...
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Davi! =D
    Já disse que eu simplesmente amo os seus artigos. E sempre sou obrigada a concordar! haha
    Acho que eu faço todos os tópicos que listou, só acho que não tenho uma lista de beta tão grandes. Meu namorado é quem é o meu beta! =D
    E eu escreveria bem mais se dormisse do lado do meu caderninho de ideias.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Davi
    Eu adorei a postagem. É bem como você falou, falta ideias. Meu sonho é escrever algo, já inicei diversas vezes, cheguei a escrever algumas páginas e no fim parei, risquei e desisti. Meu sonho persiste.
    Vou seguir suas dicas e esperar ansiosamente pelo próximo post.
    Adoreiiii.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Davi! Tudo bem?

    Eita! Que artigo bacana, cara! Acertou em cheio, hein?
    Gostei muito das suas dicas e quem saber, um dia, no futuro aparentemente distante, não as siga para escrever um livro? Seria tão legal! A de anotar ideias e arquivá-las é uma das mais importantes de todos os tempos. Principalmente porque teve uma vez em que sonhei com algo incrível super fantasia e anotei, mas depois perdi o bendito papel. É pra chorar horrores, né?

    Vou aguardar as próximas partes!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir