Não Tem Erro e Outras Crônicas, O. A. Secatto, 1ª edição, São Paulo-SP:
Giz Editorial, 2014, 152 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Entre todos os gêneros literários, a crônica talvez seja o único a agradar a gregos e troianos. Se você ainda não aprecia a leitura de uma crônica, muito provavelmente não conhece o gênero como um todo ou então nenhum texto suficientemente bom foi de fato lido. Ao narrar histórias do cotidiano, sejam eles ficcionais ou não, a crônica muitas vezes mostra nossa própria realidade e não tem como não apreciar esse pequeno detalhe.

No livro Não Tem Erro e Outras Crônicas, o escritor O. A. Secatto apresenta como principal característica o humor, não por menos o prefácio de Edson Rossatto desafia o leitor a não rir durante a leitura. No entanto, por já conhecer o trabalho de Secatto, tinha quase certeza de que a primeira gargalhada sairia ainda nos primeiros textos. Não deu outra!

Dividido em oito temas distintos, porém recorrentes na vida de todos, a obra apresenta a já conhecida linguagem simples e direta de Secatto, que se destaca inclusive em muitos de seus contos publicados em várias antologias. Esse estilo, unido ao humor afiado, apenas contribui para uma leitura rápida e ao mesmo tempo prazerosa, afinal a diversão é garantida.

Entre as crônicas de destaque, a que dá título ao livro retrata uma situação que no mínimo aconteceu com nove entre dez leitores. Afinal, quem nunca passou uma informação sem ter total certeza de essa ser correta? Ou então a crônica “Telemarketing”, em que o autor sugere algumas táticas infalíveis para se livrar de ligações tão inconvenientes — táticas que com certeza serão usadas por muitos.

Com textos sobre literatura, política, família, futebol, entre outros temas, Não Tem Erro e Outras Crônicas não deve ser lido em locais públicos por quem não deseja revelar suas reações ao longo da leitura, isso porque é impossível controlar as risadas. Mas não tem erro: a obra desse grande escritor deve obrigatoriamente ser lida por todo grande leitor.

“Dê um susto. Comece a dizer que conhece a operadora de telemarketing, que sabe onde ela está, que sabe a cor dos fones de ouvido dela e que está se aproximando, que está chegando perto, mais perto. E quando ela perguntar, com a voz trêmula, “Ah, é? De que cor são, então?”, você grita “Buh!!!”. Só para tentar derrubá-la da cadeira” (Telemarketing – pág. 93).

4 Comentários

  1. Por mais que eu goste de ler crônicas, não estou acostumado com isso.
    Acho que o livro indicado por você seria um bom começo, pois me interessei bastante pelos temas tratados e também quando disse em risadas, hahaha não tem nada melhor do que um livro te fazer rir.

    Ótima resenha!
    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu estou louca para ler este livro, aliás eu amo ler crônicas, adorei a resenha e me deixou com mais vontade de ler o livro ainda!

    Muito boa resenha! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Ricardo,

    Não conhecia esse livro, gosto do gênero mas confesso que leio pouco, ótima dica....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Ultimamente tenho lido pouco crônicas, mas eu gosto bastante. Gostei dos temas das crônicas.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir