Resenha 337# - O Álbum

O Álbum, Timothy Lewis, tradução de Ana Paula Corradini, 1ª edição, Ribeirão Preto-SP:
Novo Conceito, 2015, 240 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Adam é apenas um negociante de objetos usados que tem a missão de esvaziar e vender a residência dos Alexanders, mas ao se deparar com um álbum antigo com cartões-postais, escritos ao longo de sessenta anos, ele percebe que as frases românticas são provas de um amor incondicional e exemplar entre Gabe e Pearl Alexander.

Ao conhecer a história entre o casal, Adam descobre que durante seis décadas, Gabe se esforçou para enviar um cartão todas as sextas-feiras para a sua amada. Além dos poemas de amor, os cartões representavam algum momento importante do cotidiano, o que para Adam pode responder as perguntas que carrega sobre a sua própria vida.

“Eu nunca havia duvidado do nosso amor, nem enxergado uma vida sem ela. Além daquilo que não tinha conserto mesmo, onde foi que erramos? O que poderíamos ter feito para evitar esse desastre? Quanto mais eu me debruçava sobre os cartões-postais dos Alexanders, mais ficava pensando se um dia seria capaz de amar outra mulher. Pior ainda: depois de fracassar no meu casamento, será que eu merecia uma segunda chance?” (pág. 09).

Resenha 336# - Não Pare!

Não Pare!, FML Pepper, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ: Valentina, 2015, 280 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Nina Scott não suportava mais a vida nômade e solitária que sua mãe a obrigava a ter. Mudar de cidade ou de país a cada piscar de olhos, conviver com tantas perguntas que a consumiam, assombrada por mistérios de um passado guardado a sete chaves. Agora, aos 16 anos, a garota das estranhas pupilas verticais exigia respostas.

E, para sua péssima sorte, elas já estavam a caminho! Quando Stela decide ficar em Nova York, Nina acredita que seu sonho de ter uma vida normal vai se tornar realidade. Mas o “normal” está muito longe da vida de Nina! Perdida no olho de um furacão de mortes e inexplicáveis acidentes, tendo que esconder os terríveis fatos da mãe paranoica, Nina começa a desconfiar da própria sanidade mental, de tudo e de todos. Seria a Morte sua companheira para toda a vida?

Não está na cara o que você sente por ele, Nina?, indagava meu subconsciente a cada instante e, apesar de lutar com todas as minhas forças para não aceitar aquela ideia absurda e insensata, tive que dar razão a ele, baixar a guarda e confessar para mim mesma: eu estava gostando de Richard. Muito mais do que poderia imaginar” (pág. 173).

Ariano Suassuna - Imortais da Literatura 34#

Há um ano o Brasil chorava a morte de Ariano Suassuna. Não apenas pelo homem que encerrou a sua missão, mas pelo fato de a Cultura brasileira, especialmente a nordestina, ter ficado mais pobre. Afinal, quem estava nos deixando era o criador de Chicó, João Grillo, Tirateima, Quaderna e tantos outros. Quem estava nos deixando era um Imortal da Literatura.

Filho do então governador (na época chamado de presidente) paraibano, Ariano Vilar Suassuna nasceu no dia 16 de junho de 1927 na cidade de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa, mas ainda nos primeiros meses de vida se mudou com a família para o sertão. Poucos anos depois, seu pai foi assassinado por motivos políticos e a família novamente se mudou, dessa vez para a cidade de Taperoá.

Em Taperoá, cidade que ficaria conhecida por ser cenário da principal obra de Suassuna, o futuro escritor iniciou seus estudos e teve o primeiro contato com produções artísticas, marcantes para a sua infância, que contribuíram em seus futuros trabalhos.

No entanto, antes de sua primeira obra, passou a viver no Recife, onde concluiu os estudos secundários e logo na sequência iniciou a Faculdade de Direito. Pouco tempo depois ele já estava escrevendo sua primeira peça teatral, “Uma mulher vestida de Sol” (1947), que apenas iniciou uma fase muito produtiva de sua vida, resultando em mais de dez trabalhos, entre teatro, romance e poemas, até o fim da década de 50.

O reconhecimento do trabalho de Ariano Suassuna aconteceu ainda com as obras concluídas ao longo desse período. Afinal, entre os trabalhos estavam “Auto de João da Cruz” (1950), com o qual recebeu o Prêmio Martins Pena, e “Auto da Compadecida” (1955), o texto que se tornaria o mais importante de sua obra e que foi o responsável por torná-lo conhecido nos quatro cantos do país.

Cinco anos do blog Over Shock!

Mais um longo ano se passou e mais uma vez escrevo com orgulho para comemorar um novo aniversário do Over Shock. São cinco anos me dedicando a algo que deixou de ser apenas um hobby e se tornou parte de minha personalidade. São cinco anos me dedicando a algo que realmente me transformou, mudando as minhas amizades e até mesmo as minhas ambições.

Não tem um dia que não passo muito tempo em frente ao computador, escrevendo aqui e editando ali, sempre tentando encontrar formas de agradar meus possíveis leitores. E sei da necessidade de sempre estar inovando, por isso passo ainda mais tempo pensando em como inovar e consequentemente fazer a diferença.

Afinal, desde que transformei o antigo blog de humor no atual blog literário, sempre tive essa intenção.

Se consigo fazer a diferença eu realmente não sei dizer. Também não sei se consigo inovar. Mas estou sempre em uma busca incansável para alcançar tais objetivos.

Tudo isso pelos meus leitores. Tudo isso por meus parceiros. Tudo isso pelos amigos que conquistei ao longo dos últimos anos e daqueles que espero conquistar nos próximos. Pois é! Não pretendo parar tão cedo. Muitas coisas ainda podem acontecer, mas ainda estaremos juntos aqui.

E para isso tudo acontecer foi necessário o apoio de muitas pessoas, a quem mais uma vez agradeço imensamente. Agradeço a confiança de todos os parceiros, agradeço a visita de todos os leitores e principalmente agradeço todas aquelas pessoas que direta ou indiretamente fizeram parte do Over Shock desde aquela madrugada de julho de 2010.

Por fim, agradeço aos colaboradores dos últimos 365 dias: os escritores Davi Paiva e Maurício R. B. Campos, responsáveis pelas colunas “A Oficina” e “Over Book”, respectivamente, e a blogueira Verônica Cocucci Inamonico por colaborar como resenhista. Vocês são responsáveis por enriquecer este espaço e sou muito grato por isso!

Muito obrigado a todos e que venham mais 365 dias de cultura!

Promoção de aniversário do blog Over Shock

O Over Shock está em festa! Em julho o blog está comemorando cinco anos e, para celebrar essa importante data, será realizada uma promoção muito especial em parceria com os blogs amigos. São quinze livros divididos em três kits incríveis.
Vai ficar de fora dessa?!
Observações
- É necessário possuir endereço de entrega no Brasil;
- A promoção ficará no ar até o dia 08 de agosto;
- Perfis de uso exclusivo para promoções serão desclassificados;
- O vencedor terá o prazo de 72 horas para responder o e-mail com seus dados completos, ou o sorteio será refeito;
- O envio dos prêmios será realizado em até 45 dias úteis e é de responsabilidade de cada blog participante;
- Os blogs não se responsabilizam por extravios dos Correios;

Kit 1
Encontre-me — Catavento de Ideias
No Início não Havia Bob — My Favorite Book
O Começo de Tudo + livretos diversos — Love Lovers Blog
Os Amantes da Fronteira — Over Shock
Três Semanas Com Meu Irmão — Diário de Incentivo à Leitura

a Rafflecopter giveaway

Copyright © Over Shock |
Layout por Bia Rodrigues | Proibido cópia total ou parcial, plagiar é crime, crie e não copie!
    Twitter Facebook Google + Instagram Skoob