Samanta Holtz (Foto: Du Arantes)
“A Contadora de História” será a próxima produção da Cia. Viva Arte. O grupo teatral de Espírito Santo do Pinhal será responsável pela adaptação para os palcos do conto homônimo escrito por Samanta Holtz, escritora que publicou em agosto o livro “Quando o amor bater à sua porta”, pela editora Arqueiro.

O conto “A Contadora de Histórias” foi publicado originalmente na coletânea Crisálida, organizada por Lycia Barros em parceria com a plataforma de leitura Widbook. Segundo Samanta, ao surgir o convite para integrar a antologia ela pôde “revisar a história, reestruturá-la e fazer algumas alterações, como batizar o pai do protagonista com o nome do meu bisavô, Antonio Bonini”. “Foi uma pequena homenagem ao meu pai e à família dele, que sempre admirei pelo espírito trabalhador e empreendedor, tal qual do personagem”, explicou.

Ao comentar sobre a emoção de o seu conto ganhar vida nos palcos, a escritora destacou que quando a Cia. Viva Arte escolheu adaptar a sua história, “tornou real um dos vários sonhos que carrego, que é ver minhas histórias nos teatros”.

Meio Rei, Joe Abercrombie, tradução de Alves Calado, 1ª edição, São Paulo-SP:
Arqueiro, 2016, 288 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem.

Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava.

Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.
“Pelos deuses, como ele odiava aquela malha! Como odiava Hunnan, o mestre de armas, que durante tantos anos fora seu principal tormento. Como abominava as espadas e os escudos, detestava o campo de treino e desprezava os guerreiros que faziam dali o seu lar! Acima de tudo, como odiava sua própria mão, que não passava de uma piada ruim, uma lembrança de que ele jamais poderia ser um deles” (pág. 21).

Este ano o Over Shock completou seis anos e, apesar do atraso, não poderíamos deixar uma marca tão importante passar em branco, por isso convidamos alguns parceiros para realizar mais uma promoção comemorativa. Serão oito livros e dois ganhadores! Você vai perder essa oportunidade?!
Observações
- É necessário possuir endereço de entrega no Brasil;
- A promoção ficará no ar até o dia 10 de setembro;
- Serão dois sorteados, sendo que o primeiro sorteado poderá escolher quatro livros (e ficará com o kit de marcadores) e o segundo sorteado ficará com os livros restantes;
- Perfis de uso exclusivo para promoções serão desclassificados;
- Os vencedores terão o prazo de 72 horas para responder o e-mail com seus dados completos, ou o sorteio será refeito;
- O envio dos prêmios será realizado em até 45 dias úteis e é de responsabilidade de cada blog participante;
- Os blogs não se responsabilizam por extravios dos Correios;
Prêmios
5º Cavaleiro – Menina Lylu
Antologia Comemorativa dos quinze anos da Casa do Escritor Edgard Cavalheiro – Over Shock
Até eu te possuir + marcadores – Autora Soraya Abuchaim
Kit de marcadores – Doce sabor dos livros
Livro surpresa – O Diário Leitor
Noites de Tormenta – Over Shock
O Fim da História – Over Shock
Pólvora – De Livro em Livro
Vamos juntas? – Over Shock

Como importante religiosa contemporânea, Madre Teresa de Calcutá conquistou a admiração do mundo todo. Por seus feitos em vida, Madre Teresa foi laureada com o Prêmio Nobel da Paz, e o reconhecimento de milagres, após a sua morte, resultou não apenas na sua beatificação, em 2003, como agora, no próximo mês, a tão aguardada canonização. A partir de setembro, a religiosa fundadora da congregação Missionárias da Caridade fará parte da lista dos santos da Igreja Católica Apostólica Romana e também por isso o livro O milagre de Teresa, que narra a impressionante história de uma família brasileira atendida por um milagre da futura santa, é um dos mais aguardados livros com temática religiosa deste segundo semestre.

Título: Caça-fantasmas brasileiros
Autor: João Tocchetto e Rosa Jaques
Páginas: 224
Sinopse:
Dos mortos no massacre do Carandiru ao estilista e polemista Clodovil, são muitos os fantasmas que se comunicam com Rosa – e encontram a paz graças a suas palavras e orientação. Na companhia de seu marido, João Tocchetto de Oliveira, ela viaja o Brasil com a missão de resolver histórias de assombrações.
Desde 1996 os dois são conhecidos como os caça-fantasmas brasileiros e solucionam casos sobrenaturais, sejam eles com entidades mal resolvidas, espíritos ou fantasmas.
“Sempre seguindo nosso lema: respeito ao sobrenatural, sem julgar nem afrontar”
A dupla já contabiliza mais de seiscentos casos resolvidos e documentados. Neste livro, narram os principais deles. São histórias em manicômios, hospitais, cadeias, escolas e cemitérios, seja num casarão do bairro do Bixiga em São Paulo ou num presídio abandonado no Rio Grande do Sul.

Texto: Véto Nicolau
Baseado: “Édipo Rei”, de Sófocles
Direção: Véto Nicolau
Duração: 50 minutos
Gênero: Drama
Apresentação: 08 de julho de 2016
La Profecia é baseada na história de Édipo Rei, onde um rapaz mata seu próprio pai, casa com sua mãe e, se não bastasse, com ela tem três filhos. Depois, para se castigar, fura os próprios olhos.
A peça é uma junção de cenas de sombra com o real, proporcionando assim um novo estilo de espetáculo para todo o público que sem dúvida vai se surpreender com as cenas e efeitos criados. A peça é feita com cenário e figurino completamente neutros, onde o principal é manter o foco no ator e com ele cativar a plateia.
No clima dos Jogos Olímpicos, começo esse texto reforçando a máxima de que em uma competição vale tudo para se sagrar campeão. O grande problema é que ao assumir um risco, muitos competidores podem acabar enfrentando grandes consequências e isso foi exatamente o que aconteceu com a Cia. Trupeçar ao participar, em julho, do I Prêmio AATA de Teatro Amador.

Ao meu ver um dos principais erros do grupo foi ao construir a sinopse oficial de La Profecia, que não apenas entrega de bandeja toda a história, como também cria expectativas em relação a promessa de um jogo de sombras que visa cativar a plateia. Mas um erro ainda mais significativo foi na apresentação em questão, quando o grupo assumiu o risco de levar o público para cima do palco e com isso foi obrigado a encarar a consequência de escancarar os acertos e principalmente as falhas.

A explicação para isso é muito simples: pelo público estar no palco junto com o elenco, há poucos metros de toda a encenação e da própria produção do espetáculo, qualquer mínimo detalhe não passa despercebido. Um ruído qualquer na coxia ou um objeto cênico fora de contexto acaba se transformando em uma grande catástrofe e qualquer boa ideia corre o risco de não funcionar como funcionaria com uma relativa distância.