O atual momento político do Brasil trouxe novamente à tona os acontecimentos do início da década de 90, quando o então presidente Fernando Collor sofreu um processo de impeachment que culminou em seu afastamento da presidência da república. Mas mesmo mais de duas décadas depois, pouco se sabe sobre os bastidores do governo Collor. Em Collor Presidente, novo lançamento da editora Record, o historiador Marco Antonio Villa reconstrói todo o ambiente político, econômico e cultural dos trinta meses do primeiro presidente eleito pelo voto popular após o regime militar.

Título: A clínica
Autor: Vicente Vilardaga
Páginas: 350
Sinopse:
Este livro-reportagem de apuração precisa tem como personagem Roger Abdelmassih: um mito da medicina reprodutiva, incensado nos melhores salões paulistanos, homem admirável acima de qualquer suspeita, mas cujo espantoso edifício de crimes chocou a todos os brasileiros. Com um texto primoroso e uma reconstituição detalhada dos fatos, o repórter Vicente Vilardaga esmiúça a inacreditável trama de mentiras que cercam o médico condenado a 278 anos de prisão por mais de 48 delitos de abuso sexual a suas pacientes.

Texto: -
Baseado: “A Megera Domada”, de William Shakespeare
Direção: -
Duração: -
Gênero: Comédia
Apresentação: 08 de maio de 2016
Adaptado a um universo country, a história é desenvolvida entre trancos e barrancos. Bianca, a filha mais nova de Batista, somente pode-se casar com seu amor, Lucêncio, se sua irmã mais velha, a intragável Catarina, casar-se primeiro.
Eis que surge Petruchio, com seu fiel servo Grúmio, que se dispõe a não só conquistar o coração de Catarina, mas também, amansar a fera.
Há quase um ano, escrevendo para essa mesma coluna, comentei sobre a responsabilidade de adaptar um texto de William Shakespeare, o maior dramaturgo de todos os tempos. Na ocasião afirmei que a mínima referência ao dramaturgo inglês exigia apenas o melhor, menos do que isso não seria agradável e tampouco aceitável, por isso a necessidade de capacidade técnica para se ter a ousadia de remontar um texto shakespeariano. Algo que se encontra em raros casos, como em um grupo que há quarenta anos estuda, vive e respira William Shakespeare.

Formado em 1975, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, o Cena IV – Shakespeare Cia é um grupo que, entre outras coisas, forma atores através de um método de estudo próprio e desenvolvido ao longo das últimas décadas. A Megera Domada é apenas um exemplo do belo trabalho realizado pelo grupo, tanto na formação de atores, como na criação de espetáculos, visto que neste caso é possível afirmar que a essência, apesar de todas as adaptações, permaneceu exatamente a mesma.

Isso é o mais importante!

Cesar Bravo é um autor revelação de terror, e o mais novo autor da DarkSide Books. Convidamos o autor para um bate-papo e para que os leitores do Over Shock conheçam mais dos autores da casa da caveira.

A dra. Rin Hiromatsu, Ph.D. em neurociência da Universidade de Kobe, criou um teste composto de cinco perguntas que segundo pesquisa e farta bibliografia, podem estabelecer a personalidade do sujeito. De posse desse questionário metafísico iniciamos nossa entrevista com as cinco perguntas, também conhecido como o Teste Hiromatsu:
1. (x) Marvel ou ( ) DC
2. (x) Jovem Nerd ou ( ) Omelete
3. ( ) Futebol ou (x) Basquete
4. ( ) Twitter ou (x) Facebook
5. (x) Bolacha ou ( ) Biscoito

Agora que já sabemos quem você é, vamos às perguntas: existe um CPF Cesar Bravo ou é um pseudônimo?
Cesar Bravo é um Alter ego, não gosto muito do termo pseudônimo. Acredito que ‘Cesar’ tenha nascido para dizer e escrever o que eu não conseguiria com minha personalidade-mãe. Em dado momento de minha carreira, precisei de total isolamento, foi como Cesar Bravo que consegui.

Cesar, você costuma usar técnicas literárias de roteiro em sua escrita? Acredita que é possível escrever uma boa história que não se encaixe no esquema Jornada do Herói?
A utilidade da Jornada do Herói é indiscutível, usei algumas vezes, mas sinceramente não acredito unicamente em fórmulas — mesmo que um bom livro, um romance interessante contenha muito de suas bases. Mas, para início, um escritor precisará desses esquemas, para aprender como compor uma história. Quando comecei com a escrita dediquei muito tempo à material teórico, traduzi obras estrangeiras pela escassez do que tínhamos por aqui, aprendi bastante. Depois do terceiro ou quarto livro, essas informações passam a fazer parte de você como autor. O que eu não recomendo na escrita é rigidez, eu aposto muito no inusitado. Outro ponto fundamental é a construção de personagens. Dedico muito tempo a eles, sei de onde vêm, seus anseios, tento tratá-los como gente de carne e osso. Sem isso, nenhuma história tem chance.

O Quarto Dia, Sarah Lotz, tradução de Alves Calado, 1ª edição, São Paulo-SP:
Arqueiro, 2016, 352 páginas.
Skoob: Clique Aqui.

Janeiro de 2017. Uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita se transforma em um verdadeiro pesadelo, digno de filme de terror. Durante cinco dias o navio O Belo Sonhador fica sem qualquer tipo de comunicação e uma possível pane mecânica é motivo suficiente para instaurar o caos entre passageiros e tripulantes, que passam dias de incertezas com mortes suspeitas e fenômenos sobrenaturais.
“Gritou e mordeu a língua quando um peso pousou em seu peito, tirando-lhe o ar dos pulmões. Tentou se soltar debatendo-se, mas os braços não queriam — ou não conseguiam — se mexer. Paralisado, não havia nada que pudesse fazer enquanto um hálito de gelo roçava em seu rosto e dedos frios subiam feito aranhas por sua coxa” (pág. 106).

A literatura alemã está em destaque entre os últimos lançamentos da editora Valentina. A publicação do livro Quando finalmente voltará a ser como nunca foi, do premiado autor Joachim Meyerhoff, acontece no Brasil após muitos elogios no exterior e chega com a responsabilidade de iniciar um novo tipo de publicação da editora carioca, que com esse livro se aventura em um tipo de literatura diferente de tudo o que publicou desde a sua criação.

Título: Delícia, delícia
Autor: Donna Kauffman
Páginas: 296
Sinopse:
Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne (também conhecido como “Chef Hot Cakes”) o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária.
O problema é que ele escolheu filmar na Cakes By The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico — que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja —, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras...
Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor.
No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe.
Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa.
Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar.
É hora de praticar boloterapia!!!